Devaneios da madrugada

15 04 2010

Dia 07 de abril de 2010 passou. E com ele foi embora também o primeiro ano no ar desse blog. Foi em 07 de abril de 2009, logo após ter decidido ir assistir ‘Entre os Muros da Escola’, que decidi também iniciar essa empreitada na internet com Universo Entretenimento, ou apenas, Universo E!.

Pois bem. Semana passada não foi o melhor aniversário que estive planejando para o blog. Por pura falta de tempo (entre tabalho e faculdade) aliada a problemas na minha conexão, passei basicamente a semana passada off-line. Uma eternidade para quem já está habituado conseguir informações, se entreter ou passar horas a toa na frente dessa telinha, navegando nas ondas da web.

Se o computador não estava funcionando, se a revista adquirida outrora já fora lida por inteira, o que restaria a esse pobre mortal sem um fundo de investimento para um entretenimento mais decente? A televisão… e o pior, a programação reservada pela TV aberta. Ou seja, um péssimo negócio num final de semana.

Não foi a toa que tive a chance de rever Marley & Eu e ter um pouco de tempo maior que o habitual para dormir, dormir e dormir…

Nesse período todo, nem tive ânimo para editar a análise Hanami – Cerejeiras em Flor (que em breve estará on-line), mas tive a oportunidade em má-hora de sofrer de uma breve insônia (sintoma comum perante uma crise de abstinência de internet).

Só assim mesmo para me pegar assistindo altas horas da noite a série Oz, nas madrugadas do SBT. Lembro-me, com meus dez, onze anos assistindo esse mesmo seriado nas noites de sábado no mesmo canal, no início da década passada. Muito pouco do que assisti anteriormente ficou na memória: marcante mesmo só o rapaz na cadeiras de rodas (mais óbvio impossível) e algum detalhe e outro, mas nada muito substancial.

E é aqui que meu espanto intriga: depois de tantos eles, Oz (produzida entre 1997-2003) já reservava entre seu elenco vários rostos hoje conhecidos por quem acompanha a atual produção de seriados norte-americanos: em um ou outro episódio você dar de cara com Kirk Acevedo, visto recemente como o companheiro de Anna Torv em Fringe; outro exemplo mais óbvio, Harold Perrineau (o tal cara da cadeiras-de-rodas) já foi um dos personagens principais de Lost como Michael, pai de Walt. Adewale Akinnuoye-Agbaje também já passou pela ilha mais famosa da TV na pele de Mr. Eko.

Mas o mais surpreendente mesmo de tudo isso é a debandada de personagens de Oz para o círculo de amigos de Dexter: Erik King (Sargento Doakes), Lauren Vélez (Maria Laguerta) e David Zayas (Angel Batista) hoje batem ponto na mesma delegacia de Michael C. Hall, mais conhecido pelo seu serial-killer Dexter Morgan.

E pensar que, apesar de provavelmente de tê-los vistos atuar alguns anos atrás, os encontraria novamente nas grandes atrações de 2010 da TV norte-americana.

 

 

P.S.: Ahnnn… como é bom poder voltar a postar por aqui!

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




PALPITEIRO BRASILEIRO

Campeonato dos Palpiteiros - Temporada 2017

Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Abraccine - Associação Brasileira de Críticos de Cinema

Site com atividades e informações sobre a associação que reúne profissionais da crítica cinematográfica de todo o Brasil

Sinfonia Paulistana

um novo olhar

%d blogueiros gostam disto: