ANÁLISE: My Way – O Mito além da Música

27 08 2012

Essa análise é parte integrante da cobertura do Universo E! do Festival Varilux de Cinema Francês 2012

 

 

As instabilidades políticas e sociais expulsam a família François do Egito. Assim que Claude François sai das margens do canal de Suez e entra em contato com a cultura européia com o estabelecimento de seus pais em Mônaco.

De uma autoridade ímpar e extremo conservadorismo, o pai de Claude, Aimé, não aceita de forma alguma que o filho se enverede por esses caminhos. O inconformismo chega ao ponto de Claude ser expulso de casa apenas pelo fato de ter aceitado ser baterista de uma banda. Aimé nem imaginava até que ponto seu filho chegaria ou que viria a ser e representar para a cultura francesa.

Assim, representando significativamente bem todas as fases da carreira e da vida do cantor, o documentário My Way – O Mito além da Música se desenrola. Uma bela montagem que ao longo de suas quase duas horas e meia não se atropela, dando o devido espaço e a devida atenção a cada passagem da vida do Claude François. Essa eficácia é comprovada pela sensação do espectador em nenhum momento se sentir confuso ou perdido durante a projeção, enquanto a maquiagem cumpre o seu papel de representar as passagens da vida do cantor sem chamar a atenção em nenhum momento para si.

Tudo está lá! O otimismo de Claude estampado na excelente performance do ator Jérémie Renier diante de cada ‘não’ (e foram vários) recebido no início da carreira; a impaciência excessiva  com familiares e subalternos quando algo não saía como o planejado por ele; a inveja quando uma de suas (e aqui também foram várias) pretendentes alcançam um relativo e torna-se também um destaque na mídia e o quanto a fama e a popularidade alimentavam o seu ego, caracterizado pelo onipresente assédio das fãs.

Podemos citar que uma das razões que o manteve tanto tempo em evidência durante a década de 70 na imprensa francesa foi o fato de Claude François sempre pensar um passo a frente da sua carreira, aceitando assim o sábio conselho de seu empresário. Influenciado pelo cenário musical inglês (almejando atingir o mercado fonográfico americano), adaptando os sucessos encontrados por lá ao seu país. Ele não se permitia sair da parada de sucessos e a fama, da qual tanto necessitava, acabaria facilmente se ele assim não agisse. Com essa forma de trabalhar que Claude François tinha cacife o suficiente para inovar e ousar na França, apostando na música disco ou inserindo a participação de negros em seus shows, clipes e em suas aparições na TV.

Assim é impossível não se comover e não se emocionar nos momentos de glória de François, como aquele em que se apresenta no Albert Royal Hall, representando o ápice de sua carreira; com a sinceridade de sua expressão quando falava de Frank Sinatra, seu maior ídolo, que eternizou sua canção com a versão inglesa que dá título ao documentário. Essa sem dúvida foi a sua maior conquista! Sua simpatia até nos faz relevar as suas excentricidades à la Michael Jackson – de esconder a existência do filho mais novo para manter intacta a sua aura de conquistador de mulheres.

Conquistando-nos do início ao fim, compartilharmos a dor e o desespero da doméstica quando esta recebe a notícia da morte do cantor. Uma morte estúpida e banal que causa ainda mais consternação. Por quê? Mesmo que não se vislumbrassem um futuro melhor com as dívidas adquiridas pelos maus investimentos que realizava, Claude François não podia partir daquela forma. Ele deveria e poderia render mais alguns hits. E seus fãs, claro, adorariam!

NOTA: 5/5

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




PALPITEIRO BRASILEIRO

Campeonato dos Palpiteiros - Temporada 2017

Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Abraccine - Associação Brasileira de Críticos de Cinema

Site com atividades e informações sobre a associação que reúne profissionais da crítica cinematográfica de todo o Brasil

Sinfonia Paulistana

um novo olhar

%d blogueiros gostam disto: