Breves & Curtas #7

8 02 2014
A insanidade de uma torcida fanática resultado num excelente drama!

A insanidade de uma torcida fanática resultado num excelente drama!

 

HOOLIGANS – Se arrependimento matasse, não estaria aqui para escrever sobre Hooligans, dirigido e roteirizado pela pouca conhecida Lexi Alexander (O Justiceiro: Em Zona de Guerra e Lifted), que nos entrega uma grata surpresa com uma surpreendente história.

A narração acompanha a entrada de Matt Buckner (Elijah Wood, o Frodo na trilogia O Senhor dos Anéis e Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças) na cruel e violenta torcida organizada do West Ham após ser expulso, injustamente, da faculdade de jornalismo em Harvard. Assim, vê-se obrigado a mudar para a casa da irmã Shannon Dunham (Claire Forlani) em Londres, residência em que mal permanece após frequentar os jogos do West Ham ao lado do problemático Pete Dunham (Charlie Hunnam, Círculo de Fogo e Son’s of Anarchy), irmão de seu cunhado.

Sem apoio familiar para confortá-lo dos seus problemas, Matt vê na figura de Pete e ainda mais na torcida organizada do West Ham, a Green Street Elite (GSE), uma visão completamente distorcida de companheirismo que jamais obteve de seu pai, Carl Buckner (Henry Goodman, Aconteceu em Woodstock e Um Lugar Chamado Notting Hill), jornalista sempre ausente na vida do filho. Aquele jovem aflito e até certo ponto, inocente, vindo dos EUA passa a frequentar um mundo violento e sangrento nos arredores dos estádios ingleses, onde brigas fúteis na rua são mais importantes do que os resultados conquistados entre as quatro linhas do campo.

A conjunção de dois fatores, no entanto, resultam no surpreendente desenvolvimento da trama: a descoberta da ‘profissão’ de Matt num ambiente onde jornalistas são odiados e o descontentamento de certos integrantes da GSE com a direção exercida por Pete, que herdou do seu irmão Steve Dunham (Marc Warren, O Procurado e Hogfather) o comando da torcida, assim como a fúria descomunal de seus arqui-rivais que buscam se vingar de um trágico acidente do passado. Aqui Hooligans atinge o seu ápice numa emocionante sequência de desdobramentos, onde praticamente todos os seus personagens estão envolvidos.

Apesar de toda a irracionalidade enraizada em todas essas torcidas organizadas é notável o amadurecimento do personagem de Elijah Wood nesse processo, onde o mesmo reconhece que essa experiência mudou radicalmente a sua personalidade, as suas atitudes e seu estilo de vida. O único proveito de tudo isso mesmo foi a coragem de enfrentar aquilo que alterou a jornada de sua vida para de encontro à esses tristes acontecimentos.

NOTA: 5/5

Curiosidade –> O ator Terence Jay, que interpreta Jeremy Van Holden, colega de quarto de Matt em Harvard e responsável pela expulsão deste da instituição, é quem canta a linda música One Blood ouvida ao fundo na sequência da briga final mostrada no filme. Clique aqui para ouvi-la e ter acesso a letra!

O mal abordado pela franquia Atividade Paranormal é uma herança de família.

O mal abordado pela franquia Atividade Paranormal é uma herança de família.

ATIVIDADE PARANORMAL 2 – A franquia abandona o seu “ar amador” do primeiro longa para um verdadeiro reality-show nessa sequência que se passa cerca de dois meses antes dos acontecimentos envolvendo o terror vivido por Micah e Katie no primeiro filme.

Se antes um casal documentava  os estranhos acontecimentos em sua residência, agora uma casa inteira é monitorada em vários ângulos, em seus ambientes internos e externos. Saem duas pessoas e entra uma família inteira: os Reys, sua governanta e a pastora alemã deles. Para manter a aura de franquia construída no filme original, quem constitui família com Daniel Rey (Brian Boland, A Morte de George W. Bush e Alma Perdida) e sua filha Ali (Molly Ephraim, da série Last Man Standing) e Kristi (Sprague Grayden, da série Jericho e do filme The Last Lullaby) , irmã de Katie do primeiro Atividade Paranormal. Dessa união nasce Hunter Rey, o recém-nascido por quem a encarnação do mal está obcecada agora.

Dos três anos que separam o primeiro do segundo filme pouca coisa se alterou, o modus-operandi da narrativa permanece o mesmo (só que envolvendo agora mais pessoas): um início documental falso,  a descrença do marido, a evolução gradual das sequências de terror que vai de objetos se moverem sozinho até alguém ser arrastado escada abaixo e passar a ser a personificação concreta do mal.

Nem o fato de o alvo da vez ser uma criança é capaz de criar alguma angústia válida. Se a história não consegue fazer jus à alcunha do gênero de terror, a explicação para os acontecimentos vistos aqui soa ainda mais simplista e pouco satisfatória e só piora quando se descobre que a ‘maldição’ pode ser transferida para outrem (desencadeando os acontecimentos do longa de 2007) como um objeto qualquer.

Atividade Paranormal 2 acaba se tornado aqueles brinquedos radicais, mas feitos para crianças: é feito para tal propósito (o de assustar), mas só consegue fazê-lo com os mais inocentes.

NOTA: 2/5

AA0052-003-r-8x10-jpg_155059

Um documentário-show para o One Direction chamar de seu

ONE DIRECTION – THIS IS US – Liam Payne. Zayn Malik. Niall Horan. Louis Tomlinson. Harry Styles. Para muita gente seja muito provável que esses cinco nomes não queira dizer muito. Mas tais nomes deixam ensandecida outra mesma quantidade de fãs ao redor do mundo, fãs loucas pelo One Direction, um dos maiores sucessos da música pop atual, quando resolveram resgatar o formato das boy band.

As histórias de Liam, Zayn, Niall, Louis e Harry ganham o formato de documentário nas mãos do diretor Morgan Spurlock (Super Size Me – A Dieta do Palhaço) que tem a responsabilidade de levar para a telona os caminhos que cada um desses integrantes trilhou até chegar ao estrelato mundial.

Para tanto, Morgan usa a turnê mundial realizada pelo grupo One Direction como pano de fundo para apresentar o passado menos popular dos cinco integrantes em suas respectivas famílias, assim como a participação deles no reality-show britânico The X-Factor, onde coube ao jurado Simon Cowell (que exerceu a mesma função no American Idol) juntá-los em um mesmo grupo e catapultá-los para a fama.

Enquanto as maiores casas de espetáculos e estádios dos países por onde passavam eram ocupados pelo 1D e sua ode de fãs, os bastidores eram captados pelas lentes do documentário. Entre um embarque e uma partida em um avião pela face da Terra, grandes sucessos da banda como What Makes You Beautiful, Little Things, Live While We’re Young e One Thing ganhavam as suas versões compactas de vídeo.

A parte de toda euforia e badalação resultantes do sucesso, um lado mais solitário de cada um deles é apresentado nos momentos em que a agenda do grupo reserva-lhes uma pausa dos shows. E o que menos se espera de uma obra dessa estirpe é se emocionar com os depoimentos das famílias (especialmente dos pais) que, de certa forma perderam os seus filhos, literalmente, para o mundo. Independentemente da aprovação ou não de suas músicas, torço para que a filosofia de vida que cada um deles afirma ter, não seja apenas uma declaração jogada ao vento e seja realmente praticada por eles. Se isso não garantir um sucesso duradouro para o One Direction, pelo menos os tornarão pessoas melhores.

NOTA: 4/5

Anúncios




1000 Episódios

5 10 2013

NOTA: O número entre parênteses após o título da produção refere-se ao número total de episódios para séries finalizadas/canceladas e o número de episódios exibidos até a data desta postagem para aquelas que ainda estão em exibição.

Ao som da trilha sonora de Jericho (e sua deliciosa vocação country), as 9 horas da manhã deste sábado, dia 05 de outubro de 2013, chego a uma marca importante para todo serie maníaco: alcançar a marcar de 1.000 episódios assistidos.

E muita coisa boa já passou por esse primeiro milhar: Lost, suas 7 temporadas com seus 122 episódios são um bom exemplo. Outras séries, no entanto, não tiveram a mesma sorte dessa e foram canceladas no meio do caminho sem um final: Alcatraz (13 episódios), Pushing Daisies (26) e The 4400 (44 episódios, embora esteja ainda na 2ª temporada da série). Rubicon (12) não conseguiu se estabelecer na minha playlist após o episódio piloto também não conseguiu emplacar e foi sumariamente cancelada logo na temporada de estreia. O mesmo destino que The Event (22) teve.

Lost, junto com Smallville, foram as séries de porta de entrada para o meu vício!

As séries britânicas também tiveram sua pequena (literalmente) participação nessa marca. Reconhecida por suas espaçosas e curtas temporadas: a excelente Survivors (12) e a empolgante releitura feita por Sherlock (6), ainda em exibição com suas microtemporadas de 3 episódios de uma hora e meia de duração e a única, entre todas as que assisto, que estou em dia! =P

Em relação aos reality-shows, dou preferência aos musicais, pois sempre me dão a chance de encontrar uma música perdida desse nosso mundão: tem American Idol (538), mesmo que tenha conferido apenas a sua 9ª temporada; The Voice Brasil (15), única produção brasileira que figura nessa lista e eu não seja um espectador assíduo e The Glee Project (21), que tinha o propósito de encontrar atores novatos para a tchran-ran-ran, Glee (90). O que me leva a confessar: sim, vergonhosamente, admito que a produção controversa de Ryan Murphy pertença a minha playlist. Fazer o quê? Bola pra frente…

Algumas produções vieram e desisti antes que terminassem, e não voltam tão cedo: Heroes (78) e Off the Map (13). Fracas é pouco para descrevê-las. Outras, não desisti, mas apenas dei uma pausa em suas ‘exibições’ por falta de tempo, mas pretendo retornar a assistir, seja num futuro próximo ou distante: Felicity (84), Cold Case (156), Smallville (217) e True Blood (70).

Em exibição e que valem a pena conferir por pura diversão, sem nenhum outro comprometimento ou elogios rasgados são: Hemlock Grove (13) da Netflix, Revolution (22) , The Big Bang Theory (139) e The Walking Dead (35). Claro que não podemos deixar passar em branco as séries clássicas, que todo fã de seriados TEM, DEVEM e NÃO PODEM deixar de assistir: que atualmente está com esse posto é The X-File (202).

Por último, reservei as minhas favoritas, as top’s das top’s, da qual sofro de amor incondicional e irrevogável: Fringe (100), Friday Night Lights (76) e Dexter (96). Todas as três já finalizadas, mas que ainda não acabei de assistir. Ainda tem a premiada Homeland (25) e as  cerejas do bolo: Treme (31) e The Big C (40).

Para comemorar, realizarei uma maratona pelas próximas dozes horas, vendo quinze episódios de 13 séries diferentes, que culminará no milésimo episódio que será o piloto de Under the Dome (13).

Mas claro que nada para por aqui. Ainda há na fila de espera muitas outras séries só aguardando a sua chance de entrar nessa lista: Californication, Band of Brothers, Hannibal, The Americans, Then & Us, Betrayal, Almost Human, Arrow, Teen Wolf, Bates Motel e a última sensação do momento Breaking Bad.

Que venham os próximos mil episódios!

Quer acompanhar essa doidera ao vivo? Acompanhe o Twitter deste que vos escreve: http://twitter.com/Konshal

 





The Walking Dead retorna com tudo nos EUA

12 02 2013

A noite do último domingo, nos EUA, foi de The Walking Dead. De novo! Mais uma vez!

Retornando da sua pausa de pouco mais de dois meses, o 9º episódio da terceira temporada de The Walking Dead retomou o drama de zumbis da rede AMC. E que retorno! Foram 12 milhões e 300 mil espectadores assistindo ao novo episódio. Um feito ainda mais inacreditável se levarmos em conta que a série tinha como concorrente o show de entrega dos Grammy‘s, o prêmio mais importante da música mundial. Um ibope sem precedentes na história da TV fechada americana!

walkers voltaram

Eles voltaram!

Para termos uma noção do apelo ao público que os zumbis da AMC tem, tanto Once Upon a Time (ABC) quanto Family Guy (FOX) perderam muito de suas audiências tradicionais durante o confronto com a premiação musical.

Falando em música, a última semana de apresentação do American Idol (o reality show de grande repercussão nos EUA) alcançou em suas exibições de quarta e quinta-feiras, 14,3 e 13,3 milhões de espectadores respectivamente, mas ficaram abaixo em 1,5 ponto (na quarta) e 2 pontos (na quinta) na participação em audiência da faixa etária mais valorizada pelos anunciantes (os adultos entre 18 e 49 anos) em relação a The Walking Dead que conseguiu 6,1 pontos nesse mesmo grupo.

Acrescentando a audiência das pessoas que gravam para assistir o episódio mais tarde, os walkers chegam a extraordinários 16 milhões de espectadores! Não é a toa, quebrando recordes atrás de recordes, que The Walking Dead já tem garantida a produção de sua 4ª temporada.

 





The Beatles sem The Beatles

16 06 2012

♪ ► ♫  Hey Jude, don’t make it bad ♪ ► ♫

♪ ► ♫ Take a sad song and make it better ♪ ► ♫

♪ ► ♫ Remember, to let her into your heart ♪ ► ♫

♪ ► ♫ Then you can start, to make it better ♪ ► ♫

Sei que o que vou confessar agora pode fazer com que algumas muitas pessoas xinguem até a minha 5ª geração de antepassados, mas vou revelar assim mesmo.

Eu tenho um grave problemas com The Beatles cantando seus maiores clássicos, clássicos esses que me soam muito melhor na voz de outros artistas e de outros intérpretes. Por exemplo, assisti na última semana o filme Across the Universe que conta a história de uma rapaz inglês de Liverpool, durante a década de 70, tentando a sorte na vida entrando clandestinamente nos EUA. De pano de fundo temos a sua busca pessoal pelo pai americano que abandonou sua mãe e a guerra do Vietnã. A superficialidade com que esses temas são tratados ao longo da narrativa são insignificantes a partir das boas versões de The Beatles nas vozes de Jim Sturgess, Evan Rachel Wood e Joe Anderson.

O mesmo ocorre em alguns episódios que acompanhei nas temporadas de American Idol, nas vezes que os candidatos do reality show interpretavam as canções beatlesnianas.

Em todas essas ocasiões sempre vinha para a internet buscar pela versão original e essa experiência, em quase a sua totalidade (uns 99,99999%) tornaram-se aborrecidas. “Nossa, a versão é muito melhor”, eu pens(o)ava.

Não consigo passar de um minuto ouvindo The Beatles cantando suas próprias canções, enquanto estas conseguem facilmente ficar no looping do player do meu celular em suas novas versões. Conclui-se que sou muito mais fã das músicas dos Beatles do que do grupo propriamente dito.





Fringe próximo ao limbo

20 11 2010

A série Fringe, que baseia sua narração no trio formado por Olivia Dunham, Peter Bishop e Walter Bishop, interpretados na ordem por Anna Torv, Joshua Jackson e John Noble, que investigam uma série de fatos intrigantes que desafiam as leis naturais da ciência. E sob a supervisão do FBI que a Divisão Fringe trata de desvendar e elucidar tais casos que convergem para uma outra realidade supreendente.

Com uma morna temporada de estreia, Fringe cresceu em consistência e qualidade narrativa nas temporadas seguintes, mantendo um empolgante terceiro ano, o atual sendo exibido no canal americano FOX.

Houve uma certa facilidade na renovação da respectiva série de seu primeiro para segundo ano. Tanta facilidade, porém, não foi vista no ano seguinte: sob muitos receios, os fãs foram brindados com uma terceira temporada. Que pode ser a última!

Se a produção mais recente de J. J. Abrams melhorou no decorrer dos anos, o mesmo não se observa nos índices de audiência conquistados pela FOX durante sua exibição – se o temor crescia na legião dos fãs acerca de um provável cancelamento – tanto que foi criada antecipadamente o movimento #SaveFringe no Twitter mais um abaixo-assinado on-line -, tal consternação ganha contornos mais perceptíveis com o anúncio da grade do canal para o início de 2011.

Com a chegada da 11ª temporada de American Idol, detentor de um público cativo imenso nos EUA, mudanças na grade da emissora precisaram ser feitas: anteriormente com transmissão nas noites de terças e quartas, dessa vez o 11º ano de American Idol será exibido às quartas e quintas, interferindo na exibição nas noites de quintas de Bones e Fringe. A primeira mantem-se em seu dia habitual, logo após o reality-show, enquanto a última ocupará as noites de sexta – reconhecida por abrigar séries fadadas ao cancelamento.

E geralmente o destino não falha nessas sextas…





62º Primetime Emmy Awards

29 08 2010

(AS POSTAGENS MAIS RECENTES SEGUIRÃO A ORDEM DE CIMA PARA BAIXO)

– Está aí, mais uma premiação com cobertua completa do Universo E! . Mais análises das vitórias durante essa semana. Nos vemos no próximo evento e, diariamente, em nossos posts por aqui!

MELHOR SÉRIE DE COMÉDIA30 Rock, Curb your Enthusiasm, Glee, Modern Family, Nursie Jackie e The Office eram os indicados. Modern Family foi a grande vencedora.

MELHOR SÉRIE DRAMÁTICA – Indicados: Breaking Bad, Dexter, The Good Wife, True Blood, Mad Men e Lost. Vencedor:  Mad Men.

– Vamos agora para o que mais importa para nós brasileiros – as melhres séries da temporada (comédia e drama).

MELHOR FILME PARA TVTemple Grandin. Cujo produtores recebem o prêmio muito emocionados.

MELHOR MINISSÉRIEThe Pacific.

IN MEMORIAN: Fess Parker, jimmy Dean, Roy Disney, Jean Simmons, Peter Graves, Patricia Neal, Gary Coleman, Lna Hornes, Dennis Hopper…

– Os dois prêmios de coadjuvantes nessa categoria foram para uma mesma produção: Temple Grandin.

MELHOR ATOR COADJUVANTE PARA MINISSÉRIE OU FILME PARA TV – David Stratharin.

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE PARA MINISSÉRIE OU FILME PARA TV – Julie Ormand. Primeira nomeação e primeira vitória!

– A premiação se dirige para os indicados nas categorias de minissérie e filmes para TV.

– O Emmy premia e reconhece George Clooney pelo trabalho humanitário realizado por Bob Hope. Ao ser apresentado, o ator é aplaudido de pé pelo público.

– Em breve o elenco de True Blood estará no palco do 62º Primetime Emmy Awards.

MELHOR SHOW DE VARIEDADES – Vence The Daily Show with Jon Stewart.

MELHOR DIREÇÃO PARA SHOWS DE VARIEDADES – Bucky Gunts vence pelo trabalho realizado na abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno em Vancouver.

– Rick Gervais, o arroz de festa, agora no Emmy.

– No próximo bloco, tributo aos profissionais da televisão que nos deixaram como o ator de Arnold.

MELHOR ROTEIRO PARA SHOW DE VARIEDADESAnnual Tony Awards. Concorriam também o Oscar, Bill Maher, The Kennedy Center Honors, Wanda Sykes.

– Shows de variedades. Programas, aberturas de eventos (Jogos Olímpicos e Copa do Mundo) entram nessa categoria.

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DRAMÁTICA – Kyra Sedgwick ganha o seu primeiro Emmy pelo seu trabalho em The Closer.

– Tina Fey e Matthew Morrison aguardam nos bastidores, enquanto a premiação está no intervalo.

– PARÓDIA: Um tributo musical à séries que nos deixaram: 24 horas, Law & Order, Lost.

MELHOR DIREÇÃO SÉRIE DRAMÁTICADexter

MELHOR ATRIZ CONVIDADA EM SÉRIE DRAMÁTICA

MELHOR ATOR CONVIDADO EM SÉRIE DRAMÁTICA – John Lithgow (Dexter)

– No próximo bloco teremos uma apresentação das músicas das séries que deixaram saudades em seus fãs.

MELHOR ATOR EM SÉRIE DRAMÁTICA: Apresentado por Edie Falco, Bryan Cranston de Breaking Bad desbanca Michael C. Hall (Dexter), Matthew Fox (Lost) e Hugh Laurie (House).

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE DRAMÁTICA: The Good Wife consegue o seu primeiro prêmio na noite com Archia Panjabi.

– Trailer de Wall Street – Money Never Sleeps com Michael Douglas e Shia LaBeouf, o carinha de Transformers e Paranoia.

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE DRAMÁTICA – Aaron Paul por Breaking Bad

MELHOR ROTEIRO DE SÉRIE DRAMÁTICAMad Men.

– Chegou a vez das séries dramáticas e o que elas nos apresentaram essa temporada: Grey’s Anatomy, a trilogia de CSI, Dexter, Law & Order e adjacência, Criminal Minds, Mad Men, House, Friday Night Lights, The Good Wife, True Blood, NCIS, 24 Horas, Damages, Breaking Bad. E não podia deixar de se encerrar essa retrospectiva com Lost.

The Event – a grande aposta da NBC para essa aposta também ganha seus trailers.

– Nos intervalos são constantes as propagandas de Amazon Kindle e IPad (sonho de consumo). Aparece bastante também as chamadas para a volta do programa da Oprah Winfrey.

MELHOR REALITY SHOW: a linda (e morena!) Keri Russel, a eterna Felicity, dá a vitória ao programa Top Chef.

– O melhor da temporada em reality shows agora!

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE COMÉDIA – Neil Patrick Harris anuncia a vencedora: Edie Falco por Nursie Jackie.

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA – Finalmente o Emmy faz justiça. Jim Parsons abocanha a categoria por Sheldon de The Big Bang Theory.

– Eva Longoria sobe ao palco para apresentar MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA

– Novas tecnologias para TV (como 3d) são apresentadas em esquetes envolvendo várias produções cômicas.

MELHOR DIREÇÃO EM SÉRIE DE COMÉDIA – Ryan Murphy (Glee)

MELHOR ATOR CONVIDADO EM COMÉDIA – Neil Patrick Harris (Glee)

MELHOR ATRIZ CONVIDADA EM COMÉDIA – breve

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM COMÉDIA – Jane Lynch, leva a merecida estatueta. A primeira vitória de Glee essa noite.

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM COMÉDIA: Eric Stonestreet, Modern Family

– Em seguida vemos um resumo da temporada 2009/2010 nas comédias.

– No número inicial particpação do Hurley de Lost e do jurado Randy Jackson do American Idol.

– Emmy embarca no sucesso de Glee: a abertura começa com um estilo musical característico da série.

– Casal de True Blood (na ficção e na vida real) também passam pelo tapete vermelho: os recém-casados Stephen Moyer e Anna Paquinn.

– No tapete vermelho de tem Lea Michele de Glee. Mas muitos outros artistas vão passar por ali! A propósito, a estrela da série musical está fazendo hoje, no dia da premiação (29/08) 24 aninhos de vida!

– Ajustando a casa, pois já já começa nossa cobertura da maior pemiação da TV norte-americana! Aproveite e junte-se a nós para torcer pela sua série favorita!





Jerry 2010 – a opinião dos brasileiros

13 08 2010

Hoje, sem dúvida nenhuma, os maiores especialistas brasileiros em séries e reality shows americanos são encontrados na internet. É nela que encontramos as legendas de episódios que acabaram de ir ao ar em solo americano; nela encontramos review’s, críticas das séries em exibição; nela ficamos informados pelas novas atrações da próxima temporada; é nela que aprendemos termos como mid season, fall season, season finale, series finale

Tudo isso não é construído pelos tradicionais veículos de comunicação como jornais ou televisão não. E sim em blog’s que vamos ter todas essas e muitas outras notícias a respeito da TV norte-americana. (O qual o Universo E! tem uma tímida contribuição)

Mas, o que será que eles pensam das atuais atrações? Quem se destaca nas produções? E a atuação?

Bem, todas essas respostas serão resumidas no Jerry 2010, premiação organizada pela Sociedade dos Blogs de Séries, que reúne atualmente 24 membros ativos, que discutem e se dedicam principal ou exclusivamente ao mundo das séries e formam a nata da crítica especializada na internet brasileira.

O Universo E! traz agora as 28 categorias da premiação, cujos vencedores serão eleitos a partir dos votos dos membros da sociedade e formará um panorama do que há de melhor em exibição atualmente. Os indicados são esses:

SÉRIE DRAMÁTICA

  • Breaking Bad
  • Dexter
  • Fringe
  • Lost
  • Mad Men
  • True Blood

SÉRIE DE COMÉDIA

  • Community
  • Chuck
  • Glee
  • Modern Family
  • Parks e Recreation
  • The Big Bang Theory

ELENCO EM SÉRIE DRAMÁTICA

  • Breaking Bad
  • Damages
  • Lost
  • Mad Men
  • The Good Wife

ELENCO EM SÉRIE DE COMÉDIA

  • Community
  • Glee
  • Modern Family
  • Parks and Recreation
  • 30 Rock

SÉRIE REVELAÇÃO

  • Community
  • Glee
  • Modern Family
  • The Good Wife
  • Treme

INTÉRPRETE REVELAÇÃO

  • Danny Pudi, por Community
  • Eric Stonestreet, por Modern Family
  • Joel McHale, por Community
  • Lea Michele, por Glee
  • Rico Rodriguez, por Modern Family
  • Sofia Vergara, por Modern Family

ATOR EM SÉRIE DRAMÁTICA

  • Bryan Cranston, por Breaking Bad
  • Hugh Laurie, por House
  • Matthew Fox, por Lost
  • Michael C. Hall, por Dexter
  • Jon Hamm, por Mad Men
  • Kyle Chandler, por Friday Light Nights

ATRIZ EM SÉRIE DRAMÁTICA

  • Anna Gunn, por Breaking Bad
  • Connie Britton, por Friday Night Lights
  • Glenn Close, por Damages
  • Julianna Marguiles, por The Good Wife
  • Kyra Sedgwick, por The Closer

ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA

  • Alec Baldwin, por 30 Rock
  • Jim Parsons, por The Big Bang Theory
  • Joel McHale, por Community
  • Steve Carell, por The Office
  • Ty Burrell, por Modern Family
  • Zachary Levi, por Chuck

ATRIZ EM SÉRIE DE COMÉDIA

  • Amy Poehler, por Parks and Recreation
  • Edie Falco, por Nursie Jackie
  • Julie Bowen, por Modern Family
  • Lea Michelle, por Glee
  • Tina fey, por 30 Rock
  • Toni Collete, por United States of Tara

ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE DRAMÁTICA

  • Aaron Paul, por Breaking Bad
  • John Noble, por Fringe
  • Martin Short, por Damages
  • Michael Emerson, por Lost
  • Terry O’Quinn, por Lost

ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE DRAMÁTICA

  • Cherry Jones, por 24 Horas
  • Christina Hendricks, por Mad Men
  • Christine Baranski, por The Good Wife
  • Elisabeth Moss, por Mad Men
  • Olivia Willians, por Dollhouse
  • Sandrah Oh, por Grey’s Anatomy

ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE DE COMÉDIA

  • Chevy Chase, por Community
  • Danny Pudi, por Community
  • Ed O’Neil, por Modern Family
  • Eric Stonestreet, por Modern Family
  • Neil Patrick Harris, por How I Met your Mother
  • Nick Offerman, por Parks and Recreation

ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE DE COMÉDIA

  • Allison Brie, por Community
  • Jane Krakowski, por 30 Rock
  • Jane Lynch, por Glee
  • Sofia Vergara, por Modern Family
  • Yvonne Strahovski, por Chuck

PATICIPAÇÃO ESPECIAL EM SÉRIE DRAMÁTICA

  • Gregory Itzin, em 24 Horas
  • John Lithgow, por Dexter
  • Mary McDonnell, por The Closer
  • Ted Danson, por Damages
  • Zach Gliford, por Friday Night Lights

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL EM SÉRIE DE COMÉDIA

  • Christine Baranski, por The Big Bang Theory
  • Jon Hamm, por 30 Rock
  • Julianne Moore, por 30 Rock
  • Kristin Chenoweth, por Glee
  • Michael Sheen, por 30 Rock
  • Neil Patrick Harris, por Glee

ROTEIRO

  • Carlton Cuse e Damon Lindelof, por Lost
  • Emily Cutler, por Community
  • Matthew Weiner, por Mad Men
  • Shonda Rhimes, por Grey’s Anatomy
  • Vince Gilligan, por Breaking Bad

DIREÇÃO

  • Jack Bender, por Lost
  • Justin Lin, por Community
  • Lesli Linka Glatter, por Mad Men
  • Michelle MacLaren, por Breaking Bad
  • Vince Gilligan, por Breaking Bad

EDIÇÃO

  • Breaking Bad
  • Dollhouse
  • Community
  • Friday Night Lights
  • Lost
  • 24 Horas

TRILHA SONORA

  • Glee
  • Grey’s Anatomy
  • Lost
  • Treme
  • True Blood

FOTOGRAFIA

  • Breaking Bad
  • Lost
  • Friday Night Lights
  • Mad Men
  • Fringe

DESENHO DE PRODUÇÃO

  • Dollhouse
  • Glee
  • Lost
  • Mad Men
  • True Blood

PROGRAMA DE VAIEDADES

  • Jimmy Kimmel Live
  • Late Show with David Letterman
  • Saturday Night Live
  • The Daily Show with Jon Stewart
  • The Tonight Show with Conan O’Brien

REALITY/GAME SHOW

  • American Idol
  • So You Think You Can Dance
  • Survivor
  • The Amazing Race
  • Top Chef

PROGRAMA BRASILEIRO

  • A Grande Família
  • Central da Copa
  • CQC – Custe o que Custar
  • Furo MTV
  • Som e Fúria

APRESENTADOR DE PROGRAMA DE VARIEDADES

  • Bill Maher, por Real Time with Bill Maher
  • Conan O’Brien, por The Tonight Show with Conan O’Brien
  • David Letterman, por Late Show with David Letterman
  • Jimmy Kemmel, por Jimmy Kemmel Live
  • Jon Stewart, por The Daily Show with Jon Stewart

APRESENTADOR DE REALITY/GAME SHOW

  • Cat Deeley, por So You Think You Can Dance
  • Jeff Probst, por Survivor
  • Padma Lakshmi, por Top Chef
  • Phil Keoghan, por the Amazing Race
  • Ryan Seacrest, por American Idol

MICO DO ANO

  • FlashForward
  • Legendários
  • NBC e Tonight Show
  • Spoilers de Lost na Globo
  • Warner cancela Gossip Girl




Boas surpresas em Glee

15 02 2010

Para início de conversa, o texto a seguir está livre de spoilers. Meus comentários são tecidos de acordo com o meu acompanhamento das séries, quase todas incrivelmente atrasadas em relação a exibição americana.

Pois bem, tudo esclarecido vamos ao comentário: Glee, realmente é uma grata surpresa entre as atuais séries dos EUA. Tem um texto leve, divertido e deliciosamente cômico.

Após conferir os primeiros cinco episódios da 1ª temporada, a produção vem melhorando gradualmente em sua história: passamos por um episódio piloto mediano, deixa muito a desejar no aborrecido terceiro episódio ‘Acafellas’ que não contribui em nada para a trama principal e não chega em nenhum momento a ser engraçado, mas Glee atinge o seu ápice no quarto episódio regado a muita Beyoncè e fazendo o impensável: uns brutamontes de futebol americano dançar Single Ladies. Impagável!

E ao contrário da tradição, mesmo após um ótimo episódio, a produção não decepciona no seguinte, trazendo grandes momentos para a telinha: no 5º episódio, a surpresa atende pelo nome de Kristin Chenoweth. Conhecida pela sua personagem Olive Snook na finada Pushing Daisies, Kristin traz uma veterana alcoolizada de McKinley’s High School, que fez muito sucesso no grupo musical do colégio no passado e possa ser, dessa vez, a salvação do grupo musical.

Superando a média de números musicais dos episódios anteriores, o ponto alto desse quinto episódio foi a competição entre a personagem de Kristin, April, e a ex-estrela do grupo, Rachel pelo papel principal de Glee. Além das engraçadíssimas situações que April se meteu ao longo de sua conturbada vida escolar.

Vamos acompanhar os próximos episódios e observar se Glee consegue se reinventar e manter a qualidade daqueles que já foram exibidos.

* * * * *

 

Uma incrível coincidência ocorreu enquanto assistia esse episódio: notando o desempeho da excêntrica Emma (Jayma Mays) – maníaca por limpeza – no início da exibição, comecei a comparar, mentalmente, sua personagem com a Olive de Pushing Daisies. E o que ocorre na cena seguinte: a própria atriz de Olive aparece na tela!

Kristin Chenoweth está em alta essa temporada: após conseguir relativo sucesso em Pushing Daisies, Kristin já foi jurada na fase inicial da atual temporada de American Idol e faz uma participação especial em Glee. Danadinha!





61ª Primetime Emmy Awards

20 09 2009

A cerimônia está no intervalo comercial, que apresentou o retorno de The Big Bang Theory, How I Met your Mother, Two and Half Men…. Conforme a internet aqui for colaborando, vou postando aqui alguns dos resultados.

Amazing Race faturando o Emmy de melhor reality de competição. vencendo American Idol, Project Runamay.

– Resumo do ano dos filmes feitos para TV agora. Difícil palpitar, pois é algo difícil de se acompanhar por aqui.

– Internet colaborando muito… e a transmissão falhando!!!

– House of Saddam leva prêmio de melhor atriz coadjuvante de filme para TV.

– Uma pequena esquete lembrando de nós, internautas, que acompanhamos o mundo das séries através da telinha de nossos monitores. Afirma-se que o futuro do entretenimento será a internet. Brincando que na internet podemos ver nossos ‘shows’ sem intervalos e o vídeo é interrompindo por um ‘buffering’. Muito bom.

– Continua a premiação com destaque para os filmes ou minisséries feitos para TV.

– Dois grandes astros. Kiefer Sutherland (24 Horas) e Anna Torv (Fringe) anunciam Grey Garden como melhor filme feito para TV.

– Anna Torv e Kiefer Sutherland ainda anunciam a melhor minissérie para TV.

– Em variedades são lembrados shows, abertura da Olimpíadas, a posse de Obama, Oscar 2009 e vários programas de entrevista.

– Agora o trio de The Big Bang Theory entra no palco. Os indicados para melhor direção de programa de variedades que vai para American Idol.

– Agora para melhor roteiro de programa de variedades vai para The Daily Show with Jon Stewart.

– E nos comerciais um show das premieres das séries da CBS que transmite o Emmy: Cold Case, a ‘trilogia’ CSI, The Big Bang Theory e Two and Half Men.

– Melhor canção e letra originais para uma produção televisiva contando com a canção improvisada de Hugh Jackman no Oscar. Que, é a grande vencedora. Wolverine deu sorte!

– A produção do Oscar ganhando um Emmy. Que engraçado!

– The Daily Show with Jon Stewart ganha como melhor programa de variedades.

– Em breve teremos a premiação do momento mais marcante da temporada 2008/2009 que o público pode votar através da internet e que noticiamos aqui no Universo E!

– A grande hora. Os melhores momentos com a produções de drama. House, Criminal Minds, The Mentalist, 24, CSI com Laurence Fishburne, Battlestrar Gallactica, Law & Order, Grey’s Anatomy, True Blood, Lost, Mad Men, ER e muitos outros.

– O primeiro prêmio para produções de drama é para atores coadjuvantes. O grande vencedor e merecedíssimo para Michael Emerson de Lost.

– Chegou a vez da melhor atriz coadjuvante. A vencedora é para 24 horas, Cherry Jones.

– A hora da homenagem a aqueles que nos deixaram nessa temporada. In memorian: Paul newman, Michael Jackson, Patrick Swayze, Farrah Fawcett, entre produtores, escritores e colunistas.

– O melhor roteiro para série dramática, que vai para Mad Men que concorreu com vários episódios. Mas ganhou o “Meditations in a Emergency”.

– Melhor atriz em uma série dramática? Glenn Close por acaso? Um prêmio para Damages?… Sim senhor!!! Era de se esperar!

– Melhor ator em série dramática. Uma sacanagem Michael C. Hall não ser premiado por Dexter. O vencedor é Bryan Cranston em Breaking Bad.

– Chegou a hora da melhor série em comédia. E o Emmy vai para 30 Rock.

– No comercial do novo documentário de Michael Morre – Capitalism: A Love Story – tem como fundo uma música do filme “Quem Quer ser um Milionário?”.

– O Emmy de melhor série dramática vai para Mad Men. Desbanca a queridinhas Lost, House e Dexter.





Palpite em uma categoria do Emmy Awards!

9 09 2009

– David Letterman

Emmy Awards 2009 tem a cobertura completa de Universo E!

– Desperate Housewives

– Final de Grey’s Anatomy

– CSI – Crime Scene Investigatiom

– Bachelor

– Real Housewives of NJ

– Grammy

– Saturday Night Live

– E.R. – Plantão Médico (participação especial de George Clooney na última temporada)

– Gossip Girl

– Posse de Barack Obama

– Dancing with the Stars

– Entourage

– Grande final de American Idol

– True Blood

Qual é o seu candidato? É, pela primeira vez na categoria, os espectadores poderão votar em um desses concorrentes na categoria de “Breakthrough Peformance”, algo próximo a “momento mais marcante” dos shows apresentados acima.

O Universo E! já tem e já votou no seu favorito. Qual é o seu favorito? Aproveite e assista pequenos clipes dos indicados aqui e vote. O resultado você ficará sabendo na festa de premiação do Emmy Awards dia 20 de setembro com cobertura ao vivo do Universo E!

Aproveite e comente sobre o seu favorito!

Universo E! no Emmy Awards 2009!








PALPITEIRO BRASILEIRO

Campeonato dos Palpiteiros - Temporada 2019

Blog do Renato Nalini

Ex-Secretário de Estado da Educação e Ex-Presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo. Ex-Presidente e Imortal da Academia Paulista de Letras. Membro da Academia Brasileira de Educação. Atual Reitor da UniRegistral. Palestrante e conferencista. Professor Universitário. Autor de dezenas de Livros: “Ética da Magistratura”, “A Rebelião da Toga”, “Ética Ambiental”, entre outros títulos.

Abraccine - Associação Brasileira de Críticos de Cinema

Site com atividades e informações sobre a associação que reúne profissionais da crítica cinematográfica de todo o Brasil

Sinfonia Paulistana

um novo olhar

%d blogueiros gostam disto: