ANÁLISE: Os Miseráveis

23 02 2013

Hugh Jackman (o Wolverine dos X-Men e Gigantes de Aço) canta na pele de Jean Valjean, um homem de muito crimes numa França pós Revolução Francesa. O início de Os Miseráveis já revela aquilo que tem de mais emocionante: as cenas musicais cantadas em grupo ou coro e são três ou quatro músicas que possuem essa característica durante a sua projeção e, não podia ser diferente, uma dessas canções é a responsável por finalizá-lo. Muito pouco se levarmos em conta os seus 157 minutos de duração. Todos eles cantados, praticamente!

Nas diversas passagens de tempo que ocorre no longa assinado por Tom Hooper (do oscarizável O Discurso do Rei), Valjean está sempre tentando reconstruir a sua vida, sem necessariamente estar disposto a cumprir a pena que lhe foi imposta. Por isso mesmo, ele é continuamente perseguido pelo incompetente oficial Javert (papel de Russell Crowe, de Uma Mente Brilhante e Mestre dos Mares – O Lado mais Distante do Mundo) que jamais o conseguiu capturar em definitivo.

O formato escolhido para se c(a)ontar a história deixa Os Miseráveis muito fragmentado. As poucas histórias complementares que o compõem (e necessárias para o estabelecimento da trama principal) são incluídas de uma tal forma abrupta que há a sensação de pausa na transição de uma história para outra como se elas não ocorressem simultaneamente. É o caso da participação de Anne Hathaway (O Casamento de Rachel e Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge) e sua personagem Fantine. Todo o seu drama envolvendo a inveja das colegas de trabalho na fábrica e o seu sofrimento nas ruas com a prostituição forçada na luta para conseguir sustentar a sua filha é abordado meio a parte da trama envolvendo Valjean, enfraquecendo o ritmo do longa.

O rápido envolvimento dos dois (motivado pela morte precoce de Fantine) desencadeia uma repentina afeição dele por Cosette (vivida inicialmente pela novata Isabelle Allen), filha de Fantine, que sofre exploração de trabalho infantil na estalagem comandada pelo casal salafrário Thénardier, interpretados pelos coadjuvantes de luxo Helena Bonham Carter (do também musical Sweeney Todd – O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet e Alice no País das Maravilhas) e Sacha Baron Cohen (dos excêntricos Borat, Bruno e O Ditador), que sempre trazem algo interessante e divertido em suas interpretações cantadas.

Diferentemente do que se espera de todo filme, Os Miseráveis perde um pouco do interesse ao enfocar os adolescentes revolucionários a que pertence Marius (Eddie Redmayne, Morte Negra e Sete Dias com Marilyn) que se apaixona perdidamente pela jovem Cosette (agora interpretada por Amanda Seyfried, de O Preço do Amanhã e Mamma Mia). Um legítimo caso de paixão a primeira vista! A história já desperta certo desinteresse mesmo contando com um bom elenco jovem e talentoso em todo esse núcleo. O maior dos destaques é o ator mirim Daniel Huttlestone que no primeiro momento em que seu personagem Gavroche aparece, domina a tela como poucos atores conseguem, mesmo sendo este o seu primeiro trabalho no cinema. O modo como que o filme aborda a luta armada desses jovens a deixa extremamente tola com uma cara mais de brincadeira de rua do que uma revolução, contando pontos desfavoráveis a produção por ser parte integrante de seu desfecho e deveria se tornar o ápice do filme.

Tom Hooper por sua vez, lidando com um grande clássico da literatura e dos musicais, não ousa e faz bem a sua lição de casa cinematográfica, colocando Anne Hathaway, Hugh Jackman e Eddie Redmayne em seus momentos de maior intensidade dramática sempre no ponto forte da tela no lado direito, o chamado lado forte do Cinema, o lado em que o espectador mais observa. Isso inclusive, ele poderia tê-lo feito com um pouco mais de sutileza. Mas por tratar o ato final do filme burocraticamente, os momentos mais emocionantes em Os Miseráveis ficam atrelados as canções cantadas em coro pelo excelente elenco reunido ao invés de seu desfecho. Talvez esteja aqui um dos seus maiores defeitos!

NOTA: 3/5

Anúncios




ANÁLISE: Um Dia

5 02 2012

Um Dia retrata o decorrer de um longo relacionamento entre Emma (Anne Hathaway, Amor e Outras Drogas, dublando na animação Rio e ainda no inédito, Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge) e Dexter (Jim Sturgess, Across the Universe e Quebrando a Banca). Desde que se formaram em 15 de julho de 1988, eles passaram a se encontrar nesse mesmo dia nos anos seguintes. Apesar de parecer um encontro casual, Emma já apresentava certa atração pelo rapaz e a aproximação só não se concretizava por sua timidez.

A burocrática amizade entre os dois pode ser simbolizada por uma gangorra. De uma boa família, Dexter não tinha dificuldades em realizar sua profissão e nem mesmo satisfazer seus desejos carnais insaciáveis. Vemos a facilidade com que ele viaja para Índia ou leciona na França. Emma por sua vez adota um caminho mais tortuoso, afastando-se da sua formação  no início de carreira, indo parar numa espelunca de comida mexicana, demonstrando sua simplicidade e sua aparente falta de ambição.

Com o passar dos anos, essa gangorra tende-se a equilibrar-se (e inverter-se posteriormente): o estilo aventureiro e a falta de juízo do bon-vivant,  querendo apenas  curtir a vida, o leva a um beco sem saída. Pelo jeitão descolado, Dexter é aproveitado pelas outras pessoas até onde interessa a elas. Só que o ‘descolado’ deixa de ser interessante à medida que a idade chega. E homem de trinta e poucos anos não combina em nada apresentando programas de TV ou a frente de outros projetos direcionados aos jovens.

A recatada Emma já adota outro estilo de vida. A busca por seu sonho é realizada numa velocidade bem menor, consciente e bem mais tranquila. O amor platônico que tem pelo Dexter é ‘abastecido’ sempre no mesmo dia, todos os anos, quando os dois voltam a se reencontrar e sobrevive mesmo observando-o de longe, o seu envolvimento com a longa lista de pretendentes.

As perdas que Dexter passa a sofrer fazem com que a gangorra penda favoravelmente a Emma. O falecimento da mãe devido ao câncer, a tentativa frustrada de casamento (mesmo após o nascimento de sua filha) acabam o isolando. Um grande contraste em comparação ao rapaz rodeado de lindas mulheres nos anos anteriores.

Só assim, isolado, solitário, para Dexter buscar conforto nos ombros de Emma (o que não é inédito na amizade deles). Mas dessa vez, além do consolo, Dexter quer tentar algo mais com a personagem de Hathaway. Apesar da relutância inicial pela já adulta Emma, agora menos por sua timidez e mais pela frequência com que vê seu eterno amado bêbado, ela aposta no relacionamento: a concretização de um antigo desejo para ela e um novo rumo para a vida de Dexter.

Infelizmente essa decisão é tardia. Aqui que Um Dia volta a sequência que iniciou o longa e dessa forma mostrar o fatídico acidente que rompe drasticamente o relacionamento de Emma e Dexter. Em vez de terminar a narração nesse momento, a direção toma a correta decisão de fazer uma pequena retrospectiva da convivência dos dois amigos, alternando com o prosseguimento da vida de um deles após o acidente, tentando reencontrar o equilíbrio da vida sem a presença do parceiro e dessa forma finalizar a projeção com a mesma leveza com que sua narração fluiu.

NOTA: 5/5





RETROSPECTIVA 2011 – parte 1

18 12 2011

RETROSPECTIVA 2011

JANEIRO

A Rede Social: um dos destaques de 2011

O primeiro filme comentado em 2011 foi A Rede Social. O longa onde tomei conhecimento de Jesse Eisenberg, que pelo trabalho realizado nesse filme já está no grupo de atores/atrizes que merecem ter a carreira acompanhada de perto. Se ainda não assisti aos outros filmes dele, gostei bastante da dublagem de Blu na animação Rio. Quem também pintou na sessão de Análises do Universo E! foi Scott Pilgrim.

O ano de 2011 começou com um pequeno equívoco que já estou me precavendo para não cometê-lo novamente: a publicação da Retrospectiva 2010 em janeiro de 2011! Este ano (como você já está lendo agora), a Retrospectiva foi publicada no seu mês tradicional que é dezembro.

Felizmente, uma das minhas previsões (ainda) não se concretizou. Nas vésperas do lançamento para home vídeo de Tropa de Elite 2, o único formato disponível para compra era o blu-ray. Que bom que esse caso foi a exceção, pois não tivemos outros casos que o DVD tenha sido deixado de lado, priorizando apenas o lançamento do raio azul. Embora muita gente se vanglorie por aí com a qualidade superior de som e imagem (e realmente são superiores), não pretendo investir tão cedo nessa nova tecnologia. Não vejo problema nenhum em continuar consumindo boxes de séries e filmes em DVD.

Em janeiro o Universo E! só comeu bola. Depois de prever errado o blu-ray versus DVD, noticiamos um especial de Justin Bieber na febre televisiva da época, Glee. E fui prontamente desmentido pelo criador da atração, Ryan Murphy. Se bem que desde maio de 2010, já tínhamos um post falando sobre a distância que Glee queria manter (e mantem) de Bieber. Bem ou mal, a informação errada já tinha sido postada.

Neste mês os nerds fãs dos nerds de The Big Bang Theory só tiveram razões para comemorar: a sua série favorita foi renovada de uma só vez até a 7ª temporada, enquanto na época ainda era exibida os episódios finais da 4ª temporada. Uma decisão mais do que acertada, pois o decorrer do ano e a fatídica queda de Charlie Sheen de Two and Half Men colocariam TBBT como a principal atração do horário nobre da CBS, emissora responsável pela exibição dessas atrações nos EUA.

Evento tradicional do primeiro mês de cada ano é a entrega do Globo de Ouro que em 2011 premiou A Rede Social como melhor filme dramático, que também levou o de melhor direção por David Fincher o e melhor filme de comédia foi Minhas Mães e Meu Pai.

Na preparação para o Oscar 2011, foram soltas em janeiro, as chamadas para a transmissão envolvendo Anne Hathaway e James Franco. Pena que a diversão presente nesses ‘comerciais’ não tenham sido levadas para o show em Kodak Theatre.

 

FEVEREIRO

A emissora mais feliz do Brasil garantiu a felicidade desse blogueiro em fevereiro

Já chegou batendo recordes no Universo E! Logo no primeiro dia do mês passamos dos mais de 100 acessos em único dia com a informação da troca de canal do SBT na cidade de Campinas. A TVB Campinas passou a ser a afiliada da Rede Record na cidade, enquanto o canal do Silvio Santos passara a ser transmitido pelo canal 29 sem os programas locais.

Precedendo a grande festa do cinema mundial (não me canso de repetir essa frase SEMPRE!), os cinemas ou as distribuidoras mais precisamente, despejaram uma overdose de bons filmes nas telonas: Cisne Negro, Lixo Extraordinário, Minhas Mães e Meu Pai, O Vencedor, O Turista, O Discurso do Reiopção de filme era o que não faltava!

O Discurso do Rei seria, em 27 de fevereiro, o coroado com o Oscar de melhor filme. A transmissão foi acompanhada ao vivo pelo Universo E! que apresentava seus comentários não mais pelo post do blog, mas sim pelo seu perfil na rede social Twitter – modelo que passou a vigorar para qualquer cobertura nossa desde então.

Foi lançado aqui, simultaneamente com o blog Diário de Bordo do crítico Pablo Villaça do site Cinema em Cena, a campanha Por Mais Educação nos Cinemas. Digo simultaneamente, porque antes mesmo da publicação do manifesto pelo Pablo, já vinha escrevendo um esboço de um texto sobre o mesmo tema já há algum tempo devido aos contratempos que vinha tendo nas sessões em que estava presente.

MARÇO

A animação Rio caiu nas graças da audiência mundial

 

Foi o mês que Charlie Sheen foi demitido de Two and Half Men.

Foi o mês em que a fachada do Copacabana Palace serviu de tela para a projeção de Rio. A animação com a tutela de Carlos Saldanha (trilogia Era do Gelo) encantaria o mundo todo.

O Universo E! teve a primeira oportunidade de participar de uma cabine de imprensa ao ganhar um ingresso para conferir em primeira mão o show U2 3D pela Mobz Live.

A campanha Por Mais Educação nos Cinemas ganhou o seu segundo post. Nele, relatei as principais dificuldades que passei (e continuo passando) dentro das salas de cinema.

E The Walking Dead ainda pode ter uma participação (que ainda não ocorreu) de Stephen King. De acordo com a nota na época, King pode vir a escrever um episódio para a série do canal AMC. Atualmente no hiatus da 2ª temporada, a participação do escritor ainda pode ocorrer no terceiro ano do drama.

ABRIL

O mês de abril de 2011 foi negro! Não pelo fato do blog completar 2 anos e os números até a data de aniversário você pode conferir aqui, no post original.

Mas abril foi negro devido a interrupção de acesso a internet desse que vos fala. Nunca na minha vida, desde que virei internauta, passei tanto tempo sem ter uma conexão decente a internet em casa. Apartir de abril, as atualizações do Universo E! ficaram pendentes de uma boa lan-house, o que é difícil de achar.

Resultado: o post sobre os dois anos do Universo E! foi a única atualização de abril. Abril negro!!!

MAIO

Piratas do Caribe liderou as férias de meio de ano nos cinemas em 2011

Devido ao grande tempo em fiquei off-line, uma das maneiras que encontrei para não deixar o blog parado foi criar a sessão A Rede pelo Twitter. Uma forma fácil e rápida de construir um post off-line, utilizando basicamente a porca conexão de internet do celular. O tema de estreia teve como base o lançamento mundial de Piratas do Caribe 4: Navegando em Águas Misteriosas, abordando o famoso capitão de Johnny Depp, a antipatia dos fãs pela Penelope Cruz, etc e tal.

Nas telonas, conferimos Os Agentes do Destino. Ficamos sabendo que Rei Leão, quem diria, ganharia as salas de cinema novamente coma conversão da animação para a projeção 3D. E mudamos um pouquinho a nossa programação ao fazer uma observação sobre o momento que o mercado fonográfico vinha passando naquela época.

JUNHO

Três assuntos dominaram o mês de junho no Universo E!.

1)     Amanhecer – Parte 1 ganhou o seu primeiro trailer. Bom!

2)     Saiu a primeira imagem de O Hobbit dias depois dos dois filmes baseados na obra de J. R. R. Tolkien terem seus subtítulos e estreias definidos.

3)     Harry Potter. Encantando gerações desde 2001, o mais famoso bruxinho do cinema teria sua saga encerrada no mês seguinte e para celebrar essa ocasião, o Universo E! começou a preparar um especial revisitando todos os longas produzidos até então. O fenômeno do bruxinho ainda ganhou mais uma atualização devido ao rápido esgotamento dos ingressos para a pré-estreia de Relíquias da Morte – parte 2 em 15 de julho.

 

 





Animação Rio em uma super tela!

21 03 2011

Depois da franquia de sucesso de A Era do Gelo, o brasileiro Carlos Saldanha alça voo solo com a animação Rio, lançamento desse ano dos estúdios 20th Century Fox.

Na trama, uma arara azul descobre que não é a última da sua espécie e disposta a encontrar sua semelhante, voa de Minnesota dos EUA até a cidade maravilhosa do Rio de Janeiro.

Para a promoção do filme aqui no Brasil, a animação ganhou uma projeção especial na fachada (a super tela do título do post) do hotel Copacabana Palace. Um verdadeiro show!

riocp

Para sentir o gostinho dessa divertida trama, o Universo E! traz dois trailers de Rio. O primeiro, legendado, pois a dublagem original traz estrelas como Anne Hathaway, Jeise Eisenberg, Jamie Foxx e o raper will.i.am.

E o segundo com dublagem em português:





COBERTURA COMPLETA Oscar 2011

27 02 2011

Cinéfilos e cinéfilas!

Chegou o momento tão esperado. Dentro de instantes começará a cerimônia da 83ª edição do Oscar, com a apresentação da dupla de atores James Franco e Anne Hathaway.

E mais uma vez, o Universo E! estará presente em mais uma premiação cinematográfica. E vocês, leitores, poderão acompanhar e comentar a cobertura conosco.

Para acompanhar é só visitar o link de nosso perfil no Twitter:

E utilizem os comentários desse post para participar da festa!





TRAILER: Idas e Vindas do Amor

6 12 2009

Idas e Vindas do Amor, cujo trailer começa com a contagiante música I Gotta Feeling de Black Eyed Peas festejará o Dia dos Namorados nos EUA ano que vem.

Com estreia prevista para 12 de fevereiro aqui no Brasil, o filme é um dos poucos daqueles que conseguem reunir um elenco estrelar: são idas e vindas na telona de gente do calibre de Julia Roberts, Jessica Alba, Jessica Biel, Bradley Cooper, Patrick Dempsey, Jammie Foxx, Jennifer Garner, Anne Hathaway e Ashton Kutcher. O longa ainda conta com a participação de Taylor Lautner, uma estrela novata no ramo em Hollywood, e por isso sem espaço AINDA no 1 minuto e 29 segundos de duração do trailer que você confere agora:








PALPITEIRO BRASILEIRO

Campeonato dos Palpiteiros - Temporada 2018

Blog do Renato Nalini

Ex-Secretário de Estado da Educação e Ex-Presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo. Ex-Presidente e Imortal da Academia Paulista de Letras. Membro da Academia Brasileira de Educação. Atual Reitor da UniRegistral. Palestrante e conferencista. Professor Universitário. Autor de dezenas de Livros: “Ética da Magistratura”, “A Rebelião da Toga”, “Ética Ambiental”, entre outros títulos.

Abraccine - Associação Brasileira de Críticos de Cinema

Site com atividades e informações sobre a associação que reúne profissionais da crítica cinematográfica de todo o Brasil

Sinfonia Paulistana

um novo olhar

%d blogueiros gostam disto: