ANÁLISE: A Separação

26 02 2012

Interessante acompanhar os desdobramentos e reviravoltas que o filme iraniano do diretor Asghar Farhadi apresenta.

Concorrendo ao Oscar de melhor filme estrangeiro essa noite, A Separação mostra um casal iraniano de classe média em uma disputa judicial: o divórcio. Ela, Simin, quer deixar o país, mais isso só será possível se ele, Nader, permitir. Seja ele acompanhando-a (desejo dela) ou não. Ele segue firme em sua convicção contrária por ter o pai muito idoso e sofrendo do mal de Alzheimer, requerendo o máximo de atenção por parte da família.

No meio desse imbróglio encontra-se a filha adolescente do casal. Frequentando uma boa escola, estudiosa e inteligente, ela nunca dá sinais de sua preferência na briga, seja para o lado materno, seja para o paterno. Mesmo não declarando a sua posição, a filha nos levar a crer que se encontra confortável dentro do seu cotidiano, dominado fortemente pela cultura religiosa.

Religião que torna-se responsável por aquilo que o filme tem de melhor: os seus desdobramentos. Por não ter o divórcio aceito, Simin deixa a família para voltar a morar com os pais. Um ato que mostra a independência da mulher e, por conseguinte, o aspecto liberal da família que o filme retrata. Essa decisão leva o marido a contratar uma governanta para cuidar de seu pai durante a parte do dia em que se encontra fora de casa.

Entra em cena a partir daqui a principal peça, a importante engrenagem que faz A Separação funcionar tão bem: a empregada Razieh. Mesmo com dificuldades de locomoção pela cidade, de ter que levar sua filha consigo e de cuidar do pai de Nader e outros contratempos aqui não citados, Razieh acaba aceitando o emprego.

Se já é difícil cuidar de um idoso e com uma doença tão degenerativa, a dificuldade fica ainda maior quando a religião impõe várias complicações para o tratamento e isso é notório quando, em certo momento do longa, Razieh liga para uma espécie de serviço de ‘tira-dúvidas’ religioso e saber se uma necessária intervenção sua no apartamento seria pecado ou não.

Entre tantos problemas, uma atitude irresponsável da empregada gera mais um, num dia que Nader, voltando mais cedo do trabalho, não a encontra em casa e vê seu pai caído no chão com os pulsos amarrados à cabeceira da cama. Razieh aparece horas depois a tempo de encontrar Nader enfurecido. Assim temos o estopim do filme: além de abandonar o idoso, Nader acusa a empregada de ter roubado certa quantia de dinheiro da casa.

Irritado e com razão pelo tudo o que ocorrera, Nader expulsa a empregada do apartamento, que também está inconformada por ter sido chamada de ladra. A Separação aqui volta suas atenções para esse novo problema judicial. Razieh e seu marido alegam que o patrão seja o responsável pela perda do bebê dela; Nader, por sua vez, defende-se afirmando que desconhecia a gravidez dela e ainda a incrimina pelos maus tratos de seu pai.

Esse novo desdobramento inesperado leva o longa iraniano a um de seus ápices, tanto pela sua execução ao acompanhar essa discussão, quanto pela intriga imprevista, já que o espectador criara uma expectativa para outro tipo de abordagem, para um outro tipo de situação. Mas de forma alguma isso é indesejável, apenas pelo prazer de acompanhar esse empolgante desfecho e podermos ver a excelente atuação desses atores.

Felizmente, não se contenta em terminar aqui, porque tem que finalizar a separação ao qual seu título faz jus. E justamente aqui, o diretor faz um belíssimo convite para que o espectador reflita sobre o ato final, incitando-o a participar da história e concluí-la durante um plano envolvendo o casal que permanece durante todos os créditos finais, espetacular, diga-se de passagem.

Muitos podem criticar pelo modo como o filme termina, mas A Separação teve e tem todos os méritos para ter a ousadia da sua conclusão.

NOTA: 5/5.

Anúncios




COBERTURA COMPLETA: Globo de Ouro 2011

16 01 2011
AS ATUALIZAÇÕES MAIS RECENTES SERÃO AS PRIMEIRAS. PORTANTO, A ORDEM DE LEITURA SERÁ DE BAIXO PARA CIMA

– Michael Douglas apresentando os indicados a melhor filme drama. E A RedEe Social ganha mais um Globo de Ouro.

– Chegou a vez de Sandra Bullock para apresentar os indicados para melhor ator drama. O vencedor é Colin Firth por O Discurso do Rei.

– Enquanto isso no Twitter… Globo de Ouro domina o trend topics mundial.

– Alice, Burlesque, Red passam batidos.  O Globo de Ouro dessa categoria para The Kids are All Right.

– A dupla dinâmica de Toy Story – Tom Hanks e TimAllen sobem ao palco para apresentarem os indicados a melhor filme comédia/musical.

– Vamos agora para as indicadas a melhor atriz defilme drama. E a ganhadora é: Natalie Portman por O Cisne Negro.

– Joseph Gordon-Levitt apresenta A Origem, que concorre a melhor filme drama. O favorito do Universo E!

– Mas o prêmio vai para Paul Giamatti por Minha Versão para o Amor.

– Halle Berry chega ao palco para apresentar os indicados a melhor ator de filme musical/comédia.  Com o Johnny Depp concorrendo por dois papéis ( O Turista e Alice).

– O Cisne Negro apresentado por Alicia Keys, concorrendo a melhor filme drama.

– Vamos para os indicados a melhor série musical/comédia: a grande vencedora é Glee, desbancando as favoritas Modern Family e The Big C.

– O caldo começa a engrossar.Os indicados para melhor direção: o grande vencedor é David Fincher por A Rede Social.

– Uma prévia de O Turista, concorrendo a melhor filme musical/comédia.

– Globo de Ouro homenageia Robert de Niro com trechos dos filmes que ele participou.

– A vez de Jeremy Irons apresentar as indicadas a melhoratriz de filme drama: vence The Fighter com Melissa Leo.

– Nada melhor para comemorar a renovação por três temporadas do que esse prêmio não?

– Os indicados a melhor ator de série musical/comédia.Apresentados por Kaley Cuoco, de The Big Bang Theory, que entrega o prêmio  para o seu colega Jim Parsons.

– O presidente dos EUA de The Event, Blair Underwood, anuncia a vencedora de melhor atriz de série musical/comédia. O prêmio sai para The Big C: Laura Linney, que não estava presente na cerimônia.

– Hellen Mirren nos apresenta um dos indicados amelhor filme drama: O Discurso do Rei.

– Robert Pattinson fica incumbido de apresentar os indicados a melhor filme estrangeiro.Dinamarca vence com In a Better World.

– Por mais que não gostem de Glee, tem que se admitir que os dois prêmios dessa noite foram merecidos.

– O Capitão América, Chris Evans, apresenta as indicadas a melhor atriz coadjuvante para séries, mini-série e filme para TV. E a honra vai para Jane Lynch de Glee. A série mantem a sua aura de sensação do momento, arrebatando prêmios ainda no seu segundo ano. E a febre Glee ainda não acabou.

– Steve Carrel e Tina Fey sobem ao palco e nos apresentam os indicados a melhor roteiro. E o Globo de Ouro vai para A Rede Social.

– Zach Efron apresenta mais um indicado para melhor filme musical/comédia:  The Kids All Right.

– Claire Danes sai vencedora por Temple Grandie.

– Depois deles, chegou a vez das indicadas para melhor atriz de filme para TV ou mini-série.

– Todos atentos para ouvir as palavras do mestre Al Pacino.

– Melhor ator de filme para TV ou mini-série. Nessas categorias somos peixes fora d’água. E o Globo de Ouro foi para Al Pacino em You don’t Know Jack.

– Nas palavras de Rick Gervais, vem aíum ícone de Hollywood: Sylvester Stalone para apresentar mais um indicado a melhor filme de drama: The Fighter.

– Robert Downey Jr, melhor ator do ano passado por Sherlock Holmes sobe ao palco para anunciar a melhor atriz de filme comédia/musical: Annete Benning por Minhas Mães e Meu Pai.

– “Vocês eram nascidos quando o primeiro Toy Story estreou?”. O produtor brinca com o cantor ao subir no palco.

– Justin Bieber sobe ao palco para apresentaros indicados a melhor animação. Meu Malvado Favorito, Como Treinar seu Dragão?, O Ilusionista, Enrolados e Toy Story 3. Vencedor:  a continuação do sucesso da Pixar – Toy Story 3.

– O Globo de Ouro de melhor trilha sonora agora. Globo de Ouro vai para A Rede Social. Injusto,  já que Hans Zimmer fez um trabalho excepcional em A Origem.

– Próximo anúncio, a de melhor canção original.E a vencedora é You haven’t seen the last of me de Burlesque.

– Rick Gervais diz que esse é o seu filme favorito.

– Andrew Garfield, que concorre por melhor atorcoadjuvante por A Rede Social, sobe ao palco para apresentar a produção da qual faz parte.

– E em seguida temos os indicados a melhor série drmática. Torcendo para The Walking Dead, mas o Globo de Ouro foi memsopara Boardwalk Empire. Mais um prêmio para a HBO.

– E na categoria de melhor ator de série dramática: Boardwalk Empire, Breaking Bad, Dexter, Mad Men e House estão no páreo. E Globo de Ouro foi para a badalada produção da HBO, Boardwalk Empire, para Steve Buscemi.

– A sumida Michele Pfeiffer vai ao palcopara nos apresentar a Alice no Paísdas Maravilhas.

– Melhor ator coadjuvante de série de TV, mini-Série ou filme para TV. E que surpresa: o prêmio vai para Glee, para Chris Colfer.- Bruce Willis no microfone agora e apresentaruma prévia de seu filme Red que concorre em melhorde comédia/musical.

– De volta dos comerciais, mais uma premiação. A de melhor filme para TV ou mini-série. A favorita The Paificé desbancada por Carlos.

– Começou! Com Rick Gervais fazendo referências a The Walking Dead, a última temporada de Lost.

– Scarlett Johansson sobe ao palco. Primeira premiação é de melhor ator coadjuvante. E o Globo de Ouro vai para o cabeludo Christian Bale por The Fighter (ainda não sei a tradução usada aqui no Brasil).

– A melhor atriz de série dramática: Katey Sagal por Sons of Anarchy.

– Os primeiros artistas já começam a desfilar pelo tapete vermelho de mais uma edição do Globo de Ouro.





Guerra ao Terror sai coroado do Oscar 2010!

8 03 2010

Toda a badalação, todas as quebras de recorde, toda a tecnologia e toda a exuberância de Avatar não foram páreos para Guerra ao Terror.

Dirigido por Kathryn Bigelow, o drama de guerra arrebatou seis Oscar’s, sendo o grande vencedor da noite: melhor filme, melhor direção, melhor roteiro original, melhor edição, melhor efeitos sonoros e melhor edição de som.

Com três Oscars, Avatar saiu como o segundo grande vencedor da noite, com os prêmios técnicos visuais: melhor fotografia, melhor efeitos visuais e melhor direção de arte.

Coração Louco (melhor ator – Jeff Bridges e melhor canção original), Up – Altas Aventuras (melhor trilha sonora e melhor animação) e Preciosa – Uma História de Esperança (melhor atriz coadjuvante – Mo’Nique e melhor roteiro adaptado) saíram com dois Oscar’s cada.

Completaram a noite de premiação:

A JOVEM VICTORIA – melhor figurino

STAR TREK – melhor maquiagem

O LADO CEGO – melhor atriz, Sandra Bullock

BASTARDOS INGLÓRIOS – melhor ator coadjuvante, Christoph Waltz

O SEGREDO DOS SEUS OLHOS – melhor filme estrangeiro, Argentina

THE COVE – melhor documentário

MUSIC BY PRUDENCE – melhor documentário em curta metragem

LOGORAMA – melhor animação em curta metragem

THE NEW TENANTS – melhor curta metragem








PALPITEIRO BRASILEIRO

Campeonato dos Palpiteiros - Temporada 2019

Blog do Renato Nalini

Ex-Secretário de Estado da Educação e Ex-Presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo. Atual Presidente e Imortal da Academia Paulista de Letras. Membro da Academia Brasileira de Educação. É o Reitor da UniRegistral. Palestrante e conferencista. Professor Universitário. Autor de dezenas de Livros: “Ética da Magistratura”, “A Rebelião da Toga”, “Ética Ambiental”, entre outros títulos.

Abraccine - Associação Brasileira de Críticos de Cinema

Site com atividades e informações sobre a associação que reúne profissionais da crítica cinematográfica de todo o Brasil

Sinfonia Paulistana

um novo olhar

%d blogueiros gostam disto: