Live posting #1: Friday Night Lights S03E10

29 02 2012

Esse episódio de Friday Night Lights foi o mais fantástico já apresentado pela série até aqui. Vale ressaltar que só agora estou terminando a terceira temporada e a produção, já cancelada, teve 5 anos ao todo.

Mas no décimo episódio, FNL mostrou o que poucas sérias conseguem: um episódio com um roteiro espetacular. Muitas produções já tentaram atingir esse grau de excelência de produção, mas raras conseguiram alcançá-la e só chegaram perto em suas season finales (episódio de encerramento de uma temporada) ou series finales (último episódio de uma produção). Aqui, Friday Night Lights estava a quatro episódios de encerrar o terceiro ano.

Era inimaginável que seus produtores fossem entregar um trabalho desses a essa altura do campeonato. Mas felizmente aconteceu, e o melhor: o trabalho envolveu, em maior ou menor escala, todos os personagens da atração. E se isso já não é o bastante, (para quem não sabe, ao retratar um time escolar de futebol americano, naturalmente alguns alunos se formam e deixam o colégio e consequentemente a série), FNL vinha perdendo alguns de seus personagens principais vistos ao longo dos dois primeiros anos. Assim, era certo o receio de que as substituições e o aparecimento de novos personagens não emplacassem. Receio que não ganhou forma até a esse ponto da atração e que provavelmente não ocorrerá mais para frente (fãs que já assistiram toda a série podem falar com mais propriedade sobre isso).

Para que vocês possam sentir um pouquinho desse gostinho, vou realizar algo inédito aqui no Universo E!: vou fazer o live posting (o termo é meu =D) desse episódio e depois vemos o resultado!

FRIDAY NIGHT LIGHTS

TEMPORADA: 3 – EPISÓDIO 10: The Giving Tree

O episódio começa com Tyra se lamentando com Julie pelo tempo desperdiçado com o namorico com um certo cowboy, o que lhe custou algumas notas ruins no colégio e que provavelmente a prejudicará num futuro acesso à faculdade.

Em seguida, os Panthers, os atletas do time escolar de futebol americano, enfurnados num carro, planejam a sua nova farra até serem convidados para uma festa na casa de uma garota: Madison. É aqui que J. D. McCoy (um dos novos personagens que falei anteriormente) troca algumas palavras com ela.

Por sua vez, Buddy Garrity realiza uma reunião com um ‘sócio’ dentro de uma boate. Os dois investiram algum dinheiro num shopping a beira da estrada de Dillon, Texas, cidade que serve de locação para série. O negócio vai mal, Buddy perde dinheiro e entra em um ataque de fúria dentro do estabelecimento.

Como tudo na série cabe ao casal – Eric, treinador do time de futebol americano, e sua esposa Tamy – Taylor ajudar a resolver a questão. Enquanto ela fica responsávelem avisar Lylaque seu pai se envolveu numa confusão e encontra-se preso, ele tenta colocar um pouco de juízo na cabeça do velho Buddy. Por esse infortúnio, Eric tem que buscar sua filha na casa do namorado, o quarterback número 1 (ou não) de seu time e acaba os encontrando na cama.

Tyra tenta recuperar o tempo escolar perdido pedindo auxílio ao gênio da escola, o Landry. O que significa pedir ajuda ao seu ex-namorado, justo aquele que ela abandonou para fugir com o cowboy.

Na casa dos Taylor temos uma das melhores cenas do episódio. Muito comum que as cenas mais emocionantes da série fiquem a cargo do casal Taylor, papéis de Kyle Chandler (Edição de Amanhã, Super 8) e Connie Britton (American Horror Story). Isso é o fruto do trabalho extremamente convincente realizado pelos dois, que têm uma química incrível em cena e são, para mim, o melhor casal de ficção de qualquer produção, série ou filme. A cena se trata do Eric revelando a sua esposa o que ocorrera a tarde, ao encontrar a filha na cama com o namorado. Quando digo que o desempenho dos dois é convincente, basta reparar no nervosismo de Eric sentado a beira da cama e o espanto com que Tami se levanta ao ouvir o marido revelar: “Encontrei Matt e Julie juntos na cama hoje de tarde”. A discussão seguinte sobre falar ou não com a filha naquele momento também é de arrepiar. No dia seguinte, Tami ainda revela certa dificuldade de conversar com a filha sobre o assunto.

Friday Night Lights

Na casa dos McCoy, Madison faz uma visita para o garoto J. D. Esse possível e futuro relacionamento é um pequeno empecilho para o pai de J. D. que quer que seu filho esteja focado única e exclusivamente no futebol e na escola. Tanto a ponto de dar um leve puxão de orelha no filho e fazer com J. D. termine com algo que nem começou, o namoro com a menina.

Com a fiança paga, Buddy volta para casa com sua filha e os dois discutem sobre a briga na noite passada. Lyla ouve seu pai sobre o investimento arriscado que fizera e sobre os 70 mil dólares que perdeu com a transação. Para tornar tudo ainda pior, Buddy revela que utilizou no negócio o dinheiro que vinha sendo guardado para a faculdade da filha. Simplesmente pirei com cena a ponto de soltar um ruidoso (perdoem-me a expressão): “MAS QUE FILHO DA PUTA!”. É de esperar que Lyla saia da casa do pai.

Depois temos a primeira cena focada no tema principal da série: o futebol americano. O treinador Eric alertando sobre a necessidade da vitória nos próximos dois jogos para a equipe possa se classificar para o campeonato estadual. No pequeno grupo de estudo, Tyra e Landry discutem pela falta de empenho dela e aí que ele faz referência ao livro infantil The Giving Tree que dá nome ao episódio, referência a como ela se aproveita da amizade dos dois em benefício próprio desde sempre.

De novo, Eric tenta colocar um pouco de racionalidade na cabeça de Buddy: “Posso te falar uma coisa? Dinheiro vai e vem, certo? Esses nossos filhos, isso só acontece uma vez.” Por falar em filhos, chegou a hora de Julie ter uma conversa com sua mãe. E de novo a série nos emociona como nenhuma outra, com tanta sinceridade nessa conversa entre mãe e filha. E ver Tamy com lágrimas nos olhos e ao ser indagada o porquê: “Porque queria que esperasse. Mas só para proteger você…” é de cortar o coração de qualquer um!

Para se livrar da acusação de egoísta, Tyra arranja um pequeno show no bar para a banda de garagem de Landry. Para dizer que ela nunca fez nada por ele.

Ao buscar Julie para sair, Matt tem a primeira conversa com o sogro depois do flagrante. Confesso que não é nada fácil enfrentar o técnico Taylor no seu território, na sua casa. Mas o diálogo foi direto e curto: “As mulheres devem ser respeitadas” e “Ela é minha filha!”. E por falar de conversas sérias, Buddy foi discutir e buscar a filha na casa do namorado, o também jogador de futebol americano, Tim Riggins. E depois disso, ver Riggins impedindo Buddy de se aproximar da filha, só vendo a série mesmo, desde o início, para entender o quanto de amadurecimento esse pequeno ato teve em se tratando de Tim Riggins.

Claro que o episódio não poderia terminar sem retratar um pouco mais o tema principal da trama: agora temos uma partida de futebol americano. Os constantes roubos realizados pela arbitragem, a desfavor dos Panthers, levam o técnico Taylor a loucura e enfurecido, ele é expulso de campo, tendo que acompanhar o emocionante final do jogo numa televisão fora do estádio.

Para finalizar e já deixando um gancho para os próximos episódios: J. D. McCoy desobedece ao pai dando uma escapulida no fim da noite (e parece ter o apoio da mãe para tanto); Landry tocando com sua banda pela primeira vez ao vivo, reacendendo a paixão de Tyra e Lyla ignorando sumariamente as ligações do pai…

CONTINUA








PALPITEIRO BRASILEIRO

Campeonato dos Palpiteiros - Temporada 2019

Blog do Renato Nalini

Ex-Secretário de Estado da Educação e Ex-Presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo. Atual Presidente e Imortal da Academia Paulista de Letras. Membro da Academia Brasileira de Educação. É o Reitor da UniRegistral. Palestrante e conferencista. Professor Universitário. Autor de dezenas de Livros: “Ética da Magistratura”, “A Rebelião da Toga”, “Ética Ambiental”, entre outros títulos.

Abraccine - Associação Brasileira de Críticos de Cinema

Site com atividades e informações sobre a associação que reúne profissionais da crítica cinematográfica de todo o Brasil

Sinfonia Paulistana

um novo olhar

%d blogueiros gostam disto: