Pequena amostra de 2012

7 05 2012

O seu fim de semana terminou agora e você já está desanimado por ter que enfrentar uma semana inteira pela frente de trabalho? Pois o Universo E! preparou uma lista especialmente para você com uma pequena amostra do que os cinemas reservam neste 2012 e olhe que não é pouca coisa não!

Confira agora os trailers dos lançamentos mais esperados para esse ano! Quem sabe a ansiedade provocada por essas superproduções não anime um pouco os dias, as semanas e os meses que teremos pela frente até as estreias de cada um deles!

Boa semana!

PROMETHEUS

 

O ESPETACULAR HOMEM-ARANHA

 

BATMAN: O CAVALEIRO DAS TREVAS RESSURGE

 

OS MERCENÁRIOS 2

 

A SAGA CREPÚSCULO: AMANHECER – FINAL

 

O HOBBIT: UMA JORNADA INESPERADA

 

Para as  considerações finais, ainda teremos: 007 – Operação Skyfall e Resident Evil 5: Retribuição. E você? Tem outra estreia que aguarda desesperadamente e não está listada aqui? Compartilhe conosco nos comentários!

Anúncios




Adaptação – cinema 2.0

22 07 2011

Hollywood de tempos em tempos, lança modismos para manter o interesse do público em pagar ingressos caros e conferir os super lançamentos no cinema.

Tivemos a onda de produções baseadas em super heróis (bem feitas e com o mínimo de respeito pela obra original, para deixar bem claro). Onda iniciada pelo Homem-Aranha.

Simultaneamente à exploração desse filão veio o lançamento das continuações. O apelo do público dizia qual franquia explorar ou não. Raras vezes durante a década de 90 tivemos algum filme com ‘título tal’ 2 ou 3. Após o ano 2000 ficou comum encontrarmos caratzes nos cinemas cujos títulos de filmes eram sucedido por um algarismo: Piratas do Caribe, X-Men, Shrek, Resident Evil, Jogos Mortais, A Era do Gelo, Transformers, etc. E com sucesso de cada franquia tornou-se possível o investimento na nova arma de Hollywood contra a pirataria: as exibições em 3D.

Da mesma forma, aumentou a frequência de chegar aos cinemas histórias oriundas das páginas de livros. Tão comum que muitas vezes, os livros são (re)lançados conjuntamente com suas versões em películas.

Nas adaptações que vou me reter agora. Se já se tornou usual a escrita de um roteiro de cinema a partir de um livro, agora surge uma nova tendência criada pelos estúdios para os próximos lançamentos – a divisão da adaptação em duas partes.

Essa repartição elimina de um lado, aquilo que os fãs mais conservadores de uma determinada publicação mais reclamam: os cortes e as mudanças indesejadas na história original para uma melhor adequação às telonas. Mais tempo de filme, mais espaço para se manter fiel às páginas do livro.

Por outro lado, essa possibilidade a mais pode resultar em longas, se não mal feitos, vazios e desinteressantes para o espectador comum. Muito do que funciona perfeitamente nos livros, não mantem a mesma eficácia nas telas. Relíquias da Morte, último livro da saga Harry Potter e dividido em duas partes (esclareço logo que não foram ruins no seu todo) poderia condensar melhor sua história em um único filme, mais longo é claro, porém mantendo o excelente nível atingido em Enigma do Príncipe e não oscilando da forma que ocorreu entre a parte 1 e 2.

De minha parte, ficaria receoso se O Retorno do Rei, dividido em duas partes, alcançasse a qualidade que possui hoje. E por falar na trilogia de Peter Jackson, depois de O Senhor dos Anéis, o diretor voltará a Terra-média adaptando o prelúdio da guerra do Anel, O Hobbit, em duas partes.

Também na lista de lançamentos futuros em duas partes, figura o último volume da saga Crepúsculo: Amanhacer, cuja história será dividida em dois filmes.

Ainda é muito cedo para afirmar o sucesso dessa nova tendência e se ela funcionará ou não. Financeiramente, claro que é uma ótima aposta dos estúdios e os mais de US$ 480 milhões dos três primeiros dias de Harry Potter 7.2 estão aí para comprovar. Mas e em qualidade? Essa divisão 2.0 será revertida em produções relevantes para o cinema?

Bem, aí só as estreias futuras dirão.





RETROSPECTIVA 2010 – parte 2

6 01 2011

O Universo E! traz agora a segunda e última parte de sua RETROSPECTIVA 2010, relembrando os momentos mais marcantes do ano que passou para a indústria do entretenimento em suas várias formas: música, filmes, artes, animação…

JULHO

Julho, mês de férias. O mês onde os 31 dias podem ser traduzidos em uma única palavra: diversão. Mas as distribuidoras brasileiras conseguem provocar ainda mais risos nos fãs que adquirem os boxes de suas séries favoritas. Como no caso retratado pelo post de 02 de julho: a série Fringe, de J. J. Abrams, com o único título em inglês. Óbvio. Mas essa certeza não se aplica na versão brasileira do seriado. Fringe recebe, na arte de capa da embalagem o subtítulo A Grande Conspiração. Já na abertura dos episódios em versão legendada, o título e subtítulo desaparecem para serem substituídos por, simplesmente, Fronteiras. Agora não sei mais de qual série sou fã: Fringe? Fringe – A Grande Conspiração? Fronteiras?!!!

Em julho chegou ao fim mais uma edição da Copa do Mundo onde a Espanha sagrou-se campeã. Além do fracasso da seleção brasileira (que pegou carona no voo de volta com a Argentina), a Copa de 2010 ficou marcada pelo som. E não apenas o das vuvuzelas. Teve K’naan cantando ‘The Waving Flag’; Skank cantando a versão brasileira utilizada na propaganda da Coca-Cola e Shakira cantarolando ‘Waka Waka’.

Taí. A grande responsável pela falta de atualizações do blog durante os meses de junho e julho foi o Mundial da África do Sul, emendando com o início de merecidas férias.

AGOSTO

Este mês começou com um resumo superficial de minhas férias: leituras, revendo séries e muito descanso. Agosto também marca a época em que o friozinho na barriga começa nos fanáticos por séries porque o mês seguinte traz grandes retornos e estréias no fall season da televisão americana.

Na primeira sexta-feira desse mês estreou nos cinemas o longa A Origem. Uma estréia que quebrou uma tradição da Sétima Arte: de reservar sempre os seus melhores filmes para época de final de ano, onde uma produção está mais visível para a corrida do Oscar. E não há mais o que falar, A Origem é, continua sendo e provavelmente será o melhor filme apresentado em 2010, como disse antes: “Agora dificilmente algum filme poderá retirar o título de melhor filme de 2010 de A Origem e das mãos de Christopher Nolan”. Espere e veremos!

Uma pausa para reflexão? Também tivemos nesse post!

Os brasileiros especialistas em séries deram seus palpites sobre as melhores séries em exibição, em um aquecimento para o Emmy 2010. Especialista ou não, se você assiste à muitas séries, demos uma dica de como se organizar utilizando o site o Orangotag. As exibições em 3D novamente dando o que falar: dessa vez ocorreu com as cópias de O Último Mestre do Ar, que fez muita gente economizar uma graninha e desistir de conferi-lo nos cinemas.

E informamos também no finalzinho do mês, um vídeo com a prévia do ainda não-fenômeno The Walking Dead.

SETEMBRO

No mês em que o Universo E! mudou para o visual atual, também foi reservado por grandes informações que você viu primeiro aqui. Fomos conferir a refilmagem do Karate Kid (e não é que gostei?). Revelamos o fim de ano azul que Avatar (e Fox, e James Cameron) teria em 2010… começaram, com um mês de antecedência, as vendas para a estréia de Tropa de Elite 2… o Ministério da Cultura inicou uma votação em seu site sobre a escolha do representante brasileiro na categoria de filme estrangeiro do Oscar 2011… Jim Parsons, Sheldon de The Big Bang Theory revelou a sua homossexualidade… Justin Bieber invadindo telonas e telinhas: trilha de Karate Kid, participação na temporada atual de CSI, e mais cinebiografia…

Ufa! Muita coisa aconteceu em setembro. Mas não acabou por aqui: finalmente comentamos sobre Antes que o Mundo Acabe. Sessenta (!) séries (re)estrearam em uma única semana de setembro! E o Google Street View chegou ás ruas das principais cidades brasileiras.

OUTUBRO

Consolidou o cinema brasileiro pra o ano de 2010 com a chegada triunfal de Tropa de Elite 2 aos cinemas. Com a ajuda do Capitão Nascimento, o Brasil ocupou mais da metade das salas de cinema com suas produções

Mas em meio á uma onda verde e amarela, conseguimos ver Resident Evil 4: Recomeço e noticiar o lançamento da segunda temporada de Fringe.

Para os fãs da saga do Um Anel pela Terra-Média, outubro foi um mês especial: primeiro a eliminação das pendências envolvendo MGM e Warner Bros que impediam o início das filmagens de O Hobbit. E segundo, a chegada ao mercado brasileiro da edição de luxo da trilogia O Senhor dos Anéis em suas versões estendidas.

Enquanto informações eram liberadas para o lançamento da edição de colecionador de Avatar, o CQC chegava na era 3.0, com o programa ganhando mais meia hora em sua duração com transmissão ao vivo pela internet.

Mas de especial nesse mês mesmo teve a estréia, no dia 31, da série The Walking Dead!!!

NOVEMBRO

Chegando ao fim o ano de 2010. E novembro traz consigo notícias e nem tão boas assim…

Era levantada a hipótese real (e até a publicação desse post, essa informação não está descartada) do cancelamento do seriado Fringe após o seu terceiro ano. E logo seguida, a Fox americana informava a mudança de horário da produção das quintas para as temidas sextas-feiras. E mais, se o fenômeno de The Walking Dead ganhava fãs ao redor do mundo com tão pouco tempo de vida, o canal Fox brasileiro tratava de afasta-los com a exibição de episódios dublados e retalhados por aqui.

A rede Cinemark realizava a 11ª edição do seu projeto Projeta Brasil Cinemark. O YouTube também programava uma edição do YouTube Live no Brasil, reunindo os grandes nomes da música sertaneja.

Também em novembro revivemos (ou para alguns, conferiram pela primeira vez) as habilidades fantásticas do piloto Ayrton nas corridas de Fórmula 1 no documentário Senna. E no despedimos de uma das mais importantes figuras do humor em Hollywood: Leslie Nielsen.

DEZEMBRO

No último mês do ano as novidades voltaram a ficar escassas por aqui. Teve o trailer do quarto Piratas do Caribe.

E enquanto essa RETROSPECTIVA estava constrangedoramente atrasada, publicamos uma produzida pelo Google, para 2010 não passar em branco por aqui.

– * – * – * –

Agora sim! Missão dada é missão cumprida! Realizamos aqui a primeira retrospectiva do Universo E! Podemos agora, finalmente, fincar os pés no ano de 2011 e que ele venha repleto de atrações especiais por aqui. Até lá!





ANÁLISE: Resident Evil 4: Recomeço

1 10 2010

Quando a gente aprende nas aulas de física sobre as máquinas que pudessem funcionar perpetuamente depois de um movimento inicial e a partir daí não precisar mais de energia, fenômeno denominado moto-perpétuo, sabemos a impossibilidade de isso ocorrer na realidade. Em Resident Evil 4: Recomeço, no entanto, e talvez em toda a franquia de filmes baseados nesse jogo, nós temos um claro exemplo de algo moto-perpétuo: a Umbrella Corporation! Por mais que coloquemos Milla Jovovich como Alice (e mais algumas cópias delas), Claire Redfield, a ex-Heroes Ali Larter e mais alguns heróis de séries de ação, começando por Prison Break – Wentworth Miller (Michael Scotfield na série), jamais derrotaremos a Umbrella.

Umbrella é uma organização que investiu em uma experiência que criou o T-vírus responsável por dizimar a população humana e transforma-la boa parte dela em zumbis e tem em Alice a única humana infectada que conseguiu resistir ao vírus. E se no início do longa tem uma multiplicação quase que divina de Alice, que consegue aniquilar toda a segurança de um quartel-general subterrâneo da Umbrella, ela jamais aniquilará por completo a organização em si.

No filme anterior, os sobreviventes liderados por Alice se dirigiam à uma cidade, que ofereceria abrigo e comida aos sobreviventes à esse mundo repleto de zumbis, situada na região do Alasca: a Arcadia. A personagem de Milla no entanto permanece na inocente ilusão de destruir a Umbrella. Nesse primeiro momento, Alice consegue escapar da aniquilação total da central da corporação debaixo da terra (as seqüência inicial), fugindo junto com o comandante do local no helicóptero e ao lutar com ele na aeronave, os dois acabam sofrendo acidente.

A partir daqui, Alice passa a sobrevoar a região do Alasca através de aviões abandonados em busca do refúgio oferecido por Arcádia, porém, sem sucesso. No remoto lugar onde pousava esses aviões, ela encontra Claire, que havia partido com os outros sobreviventes no terceiro filme, abandonada e sem memória.

As duas retornam á cidade de onde partiram e lá encontram outros sobreviventes em um edifício rodeado por zumbis. Essas pessoas esclarecem vários pontos onde Alice estava enganada. Por exemplo, fora em vão a busca dela na região do Alasca, já que como ela pudera ver na região litorânea próxima onde estavam, Arcadia não era uma cidade e sim uma embarcação. E esse torna-se o objetivo principal agora.

Para escapar ilesos dali, o grupo de sobreviventes obtem ajuda do irmão de Claire, Chris Redfield, que era mantido refém. Com conhecimento do arsenal mantido na edificação, ele arma até os dentes o grupo, que impossibilitados de sair pelo portão da frente, acham mais viável uma saída subterrânea dali: e através da rede esgoto chegar até o litoral onde o navio se encontrava. Tudo isso com direito a enfrentar um ‘zumbi troll’, com tamanho e inteligência desproporcionais a maioria dos zumbis.

Desabitado e plenamente em funcionamento. É assim que Alice, Claire e Chris encontram Arcadia que é realmente o que procuravam pois é do navio que vinha a mensagem de rádio informando o abrigo oferecido por ele. Mas mais que refúgio, a embarcação era uma armadilha. De quem? Umbrella é claro! Disposta a continuar investindo no vírus, a corporação aprisionava ali os sobreviventes incitados a se dirigir ao local. Aqui encontramos o comandante do início do longa que, da mesma forma que Alice, sobrevivera a queda do helicóptero e passa agora, praticamente ileso, a toda golpe sofrido nas batalhas dentro do navio – como a Umbrella, ele também é praticamente imortal.

Quer dizer, era imortal. Mais uma vez derrotado, ele abandona Arcadia do mesmo modo que no começo do filme. E assim como a central subterrânea, o comandante também aciona a aniquilação total do navio, mas tal dispositivo fora sabiamente instalado por Alice no helicóptero do fugitivo que se desintegra no ar – e essa é uma das melhores cenas bem humoradas do longa protagonizada pelo trio de heróis.

A perpetualidade da Umbrella Corporation em Resident Evil fala mais alto – prestes a ter um final feliz, libertando todos os sobreviventes aprisionados em Arcadia, Alice não terá descanso nos próximos filmes. Uma frota de aeronaves da Umbrella está prestes a chegar ao navio…

Resident Evil 4: Recomeço é recheado de cenas feitas exclusivamente para o 3D (conferi o longa em 2D) – seqüências em câmera lenta – que parecem funcionar organicamente nesse novo formato e há boas críticas na internet sobre o filme nesse quesito. Essa quarta parte também adota a realidade surreal do game, armando seus personagens indefinidamente, mas estabelece boas cenas de ação, tendo Milla Jovovich como heroína emblemática da franquia. Desse e dos próximos filmes. Embora não seja um primor do cinema, Resident Evil ainda tem fôlego para mais continuações com um bom entretenimento pontual e passageiro.

NOTA: 3/5





“UM por todos…” em 3-D

2 09 2009

KRISTIN KREUK TRABLHANDO EM BUY MORE? CONFIRA NO PRÓXIMO POST!!!

O diretor Paul W. S. Anderson (responsável pelo primeiro longa de Resident Evil) estará de volta aos sets para trazer uma versão em três dimensões do clássico de Alexandre Dumas.

Além da tecnologia 3-D, o diretor também promete fazer uma versão contemporânea de ‘Os Três Mosqueteiros’, diferentemente do original que se passa em 1644. O novo filme de Anderson seguirá os passos do jovem d’Artagnan numa França do século XIX.

Paul declara, de acordo com o IGN: “Estamos definitivamente modernizando a história de ‘Os Três Mosqueteiros’ sem comprometer com a diversão do enredo em geral”. Ele ainda promete que esta nova versão terá cenas de ação de ‘arregalar’ os olhos, com muito romance e aventura.

Ao lado de Paul Anderson no roteiro estará Andrew Davis, responsável pelo script de ‘O Diário de Bridget Jones’ e pela versão televisiva britância de ‘Orgulho & Preconceito’. Previsão de filmagens para o próximo ano com lançamento em 2011.








PALPITEIRO BRASILEIRO

Campeonato dos Palpiteiros - Temporada 2019

Blog do Renato Nalini

Ex-Secretário de Estado da Educação e Ex-Presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo. Atual Presidente e Imortal da Academia Paulista de Letras. Membro da Academia Brasileira de Educação. É o Reitor da UniRegistral. Palestrante e conferencista. Professor Universitário. Autor de dezenas de Livros: “Ética da Magistratura”, “A Rebelião da Toga”, “Ética Ambiental”, entre outros títulos.

Abraccine - Associação Brasileira de Críticos de Cinema

Site com atividades e informações sobre a associação que reúne profissionais da crítica cinematográfica de todo o Brasil

Sinfonia Paulistana

um novo olhar

%d blogueiros gostam disto: