Festival Varilux de Cinema Francês | parte 05

20 05 2014

Finalmente, antes tarde do que nunca, aqui estão os últimos comentários do Universo E! sobre o Festival Varilux de Cinema Francês de 2014. Pela terceira vez presente no festival, esta é a primeira vez que conseguimos falar sobre praticamente todos os filmes vistos: das 16 produções integrantes da programação, assistimos 15 e escrevemos (incluo esse post) sobre 13 deles. Um feito inédito!

Esperamos que tenham curtido! E que venham mais ótimos filmes pela frente!

fvcf2014

UMA VIAGEM EXTRAORDINÁRIA (França, 2013) – Sua realização por si só já é uma viagem extraordinária. Uma coprodução franco-canadense conta a história de TS Spivet (Kyle Catlett, da série The Following), que vive junto com sua família num rancho isolado no oeste americano. A mãe Clair, Helena Bonham Carter (Os Miseráveis, a cinessérie Harry Potter e Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet), colecionava insetos; o pai era um típico cowboy; a irmã sonhava em participar do concurso de miss dos EUA e o seu irmão gêmeo seguia os passos rústicos do pai, adorando manusear armas desde pequeno.

Gêmeos, a única coisa em comum entre TS e Layton mesmo era a data de nascimento. Layton (Jakob Davies, de O Homem das Sombras e Guerra é Guerra!) não possuía nenhuma fração da genialidade e engenhosidade do irmão com seus cálculos e análises científicas. Uma tragédia, no entanto, acaba levando Layton a óbito.

A perda do irmão desperta em TS um sentimento de desprezo por parte da família, especialmente sua mãe. Deslocado em seu próprio ambiente familiar, ele vê na Baird Awards (organização que premia os grandes projetos científicos) uma oportunidade de ter a sua inteligência reconhecida, ao mesmo tempo que terá a chance de se afastar de seus familiares. Mesmo que momentaneamente.

Cruzar o território americano a bordo (clandestinamente) de um trem que atravessa o território de oeste a leste não é nenhuma ideia original. Encontrar os mais diferentes tipos de pessoas nesse caminho também não. E são exatamente estes momentos que Uma Viagem Extraordinária não oferta nada de novo. O ator-mirim que vive o protagonista também não se sai bem nos momentos da trama que lhe exigem mais emoção, o que certamente garantiria uma imersão maior do espectador.

O que resta mesmo são os momentos divertidos que o roteiro apresenta ao explorar a dualidade entre a genialidade TS e a vida comum de pessoas nem tão inteligentes assim. Também não é monótona acompanhar a reconciliação entre os membros da família nessa trajetória, que conta com ótimas trilha sonora e fotografia. Uma viagem nem tão extraordinária assim, mas certamente divertida.

NOTA: 3/5

UM AMOR EM PARIS (França, 2013) – Brigitte (Isabelle Huppert, Amor e Uma Relação Delicada) e o marido vivem nos arredores de Paris onde cuidam de cabeças de gado de alto pedigree para participar de exposições competitivas de bois.

Uma vida pacata e sem sobressaltos, típica de casais com muito tempo de união e com os filhos já criados. Só de tempos em tempos que o sossego é quebrado quando jovens vindos da capital francesa organizam festas na chácara vizinha.

Em uma dessas festas, Brigitte conhece Stan (Pio Marmaï, Um Evento Feliz e Alyah), um rapaz que não está muito a vontade na festa e acaba (assim como as organizadoras da festa pedindo favores a todo momento) indo parar na porta dos vizinhos.

Interessante analisar como essa safra de filmes franceses traz a crise dos casamentos de longa data para a tela. Brigitte não está infeliz no seu matrimônio, mas está insatisfeita em como ele está girando apenas na atividade de criação de gados, algo que agrada apenas ao seu marido.

É em Paris, portanto, que ela vai em busca de sua própria felicidade, tendo como pretexto uma consulta médica. Mas não será a cidade-luz que a afastará das decepções da vida, assim como homens maduros e economicamente bem estabelecidos não serão garantia  de felicidade plena.

NOTA: 2/5

GRANDES GAROTOS (França, 2012) – Dificilmente filmes conseguem construir habilmente uma construção de personagens em um curto espaço de tempo e com cortes tão rápidos. Um exemplo clássico e insuperável até hoje é aquele elaborado na animação Up – Altas Aventuras abordando o relacionamento entre Carl Fredricksen e Ellie. Grandes Garotos utiliza-se do mesmo artifício apara estabelecer rapidamente a relação entre Lola (Mélanie Bernier, A Delicadeza do Amor e A Datilógrafa) e Thomas (Max Boublil, de Aconteceu em Saint-Tropez) uma vez que o seu grande motim será a amizade que se estabelecerá entre Thomas e seu sogro Gilbert (Alain Chabat, Uma Noite no Museu 2 e A Espuma dos Dias) .

Gilbert é o exemplo de tudo que Thomas não quer em sua vida futura: um homem infeliz, descontente no casamento e que vê sua mulher Suzanne (Sabrine Kiberlain, de Uma Juíza Sem Juízo e Políssia) envolvida apenas na caridade. Mas ao mesmo tempo, Gilbert por experiência própria, valoriza e incentiva o sonho de Thomas, que sempre é menosprezado pela namorada dele: a música.

Essa repentina amizade abordada em Grande Garotos entre genro e sogro também apresenta uma dualidade e um choque entre gerações. E o título se refere a absoluta falta de maturidade existente nas ações deles, quando passam a dividir momentos juntos, em detrimento ao relacionamento destes com suas respectivas esposa/namorada.

Apenas quando uma rápida incursão no mundo fonográfico torna-se uma grande frustação (principalmente quando se rendem às vontades e traquejos de uma cantora-mirim irritante) que Thomas e Gilbert percebem o quão importante eram suas vidas anteriores à essa jornada – mesmo que isso não se traduzisse em todos os seus desejos realizados. Só que há um único problema: agora eles terão que reconquistar suas amadas que já estavam se acertando com outros companheiros. E isso pode não ser tão fácil quanto parece.

O grande destaque aqui fica por conta de uma das cenas finais, quando Thomas resolve invadir uma conferência internacional para declarar (mais uma vez) o seu amor por Lola, utilizando-se de uma gag recorrente no filme.

NOTA: 3/5

Anúncios




Itinerância Mostra SP 2013 – parte 1

29 11 2013

jackie

JACKIE (Holanda / EUA): Uma foto de duas menininhas no bolso de uma mulher em um acidente em Novo México nos EUA faz com que Sofie e Danielle deixem a Holanda para tirarem-na do hospital. O nome dessa desconhecida dá nome ao longa.

Jackie é a mãe de aluguel das duas holandesas criadas em seu país natal por seus dois pais. Para irmãs gêmeas possuem personalidades e visões de vida completamente diferentes e quase nenhum convívio entre elas. Chega ser cômico que  essa mulher, estranha em suas vidas até então, seja a responsável por tampar esse “buraco” existente no relacionamento delas. Ao lidar com a velha rabugenta a bordo de seu ultrapassado motor-home, Jackie se transforma num road-movie disposto a sanar todas as questões do passado das irmãs e também reservar a elas raros momentos conjuntos de descontração, sinceridade e amizade.

Enquanto Sofie deixa o seu perfil profissional em crise de lado e passa a se preocupar mais com os problemas pessoais da irmã, Danielle concretiza o grande sonho de como seria viver ao lado de sua “mãe real”. Interessante observar como o rápido convívio nessa viagem introspectiva de redescobertas mudam rapidamente o relacionamento entre elas – Jackie pega um apreço muito grande por suas “meninas” agora: defendendo-as e salvando-as num mundo com qual tem completo domínio. E sua simples presença torna-se um forte encorajamento para que Sofie e Danielle tomem decisões que jamais optariam se não estivessem passando por essa experiência, que também inclui um convite ao próprio passado de Jackie. As atrizes Holly Hunter (da série Saving Grace e da animação Os Incríveis) e as irmãs também na vida real Carice van Houten (O Resgate de Órgãos e Game of Thrones) e Jelka van Houten se saem muito bem em interpretar esses nuances.

Com uma fotografia linda, passando pelo amarelado do árido deserto de Novo México e as paisagens brancas ornadas de gelo e gesso (!), Jackie ainda reserva uma inesperada e divertida reviravolta em seu ato final, fugindo do lugar-comum que filmes com tramas semelhantes tenderiam a adotar. Mesmo se esse não fosse o caso, Jackie ainda assim se firmaria como uma ótima experiência cinematográfica.

NOTA: 5/5

bwakaw

BWAKAW (Filipinas): Rene vive no interior das Filipinas solitariamente, aguardando a chegada de sua morte ao lado de sua inseparável companheira canina Bwakaw.

Aposentado, o senhor ainda continua a trabalhar sem receber nenhum pagamento numa agência postal local de pouquíssimo movimento, cultivando aqui algumas amizades de seu limitado círculo social. Entre seus outros compromissos rotineiros, Rene ainda visita Alice  em uma casa de repouso, que mais tarde revela ser sua antiga namorada de um relacionamento de 15 anos; lida quase diariamente com sua vizinha insistente que teima em pedir graças para sua neta enferma a uma imagem de Jesus Cristo que ele possui em casa e um salão de cabeleireiro gerido pela ‘mãe’ e sua assistente Tracy, dois gays assumidos.

O lado interessante de Bwakaw é o fato de Rene também ser homossexual, mas covarde, de acordo com suas palavras, por aceitar tardiamente essa sua “condição”, sendo este o principal motivo por levar uma vida sozinha.

Mesmo solitário, Rene revela ter um bom coração quando se observa sua preocupação com pessoas próximas a ele, mesmo se tratando uma versão filipina de Carl Fredricksen, o senhorzinho de Up – Altas Aventuras. Este lado bondoso preenche a lacuna de humor  para a qual a narrativa de Bwakaw reserva algumas divertidas subtramas: o caso do caixão, o constante conflito de Rene com a dupla de cabeleireiros e ainda a morte de Minda, sua companheira de trabalho.

Bwakaw lida com a questão dos homossexuais de duas formas distintas: uma natural e mais séria, tendo Rene como sua figura central, que lida com as formas veladas ou não de preconceito: nesse quesito entra a amizade/inimizade feita com Sol, condutor do triciclo de passageiros típico das Filipinas; do lado oposto, temos a visão escrachada e estereotipada dos gays, com a ‘mãe’ e Tracy como representantes, com maquiagem e comportamento propositalmente exagerados.

Paralelamente a esses acontecimentos temos o adoecimento da cadelinha Bwakaw, que é diagnosticada tardiamente com câncer, exigindo alguns cuidados emergenciais por parte de seu dono antes de sua partida definitiva. Ao longo da narrativa, o velho Rene tem alguns lampejos de otimismo e de felicidade, embora momentâneos, pois no final de tudo pouca coisa muda em sua vida. Uma casa mais arejada e decorada? Sim. Mas a solidão agora é ainda maior, tanto pela ausência de sua companheira de quatro patas, quanto pela distância mantida por aqueles que não o aceitam como ele é!

NOTA: 5/5





RETROSPECTIVA 2010 – parte 1

4 01 2011
Fugindo do tradicional que é lançar essa tal retrospectiva ainda no ano que se pretende rever, aqui vamos nós…

Chegou o momento do Universo E! relembrar os fatos que marcaram o universo do entretenimento durante os 365 dias de 2010. As estréias que fizeram história nesse ano, as personalidades que alcançaram ou mantiveram o estrelato esse ano. As premiações, os falecimentos, as músicas, tudo o que moldou o ano de 2010.

Ao longo de toda narração, você será convidado a (re)visitar os posts que deram origem à passagem do texto.

 

SEJAM TODOS BEM-VINDOS A RETROSPECTIVA 2010 DO UNIVERSO E!

JANEIRO

O primeiro mês do ano começou com o fenômeno mundial de bilheteria do finalzinho de 2009. O longa de James Cameron, Avatar, nos apresentou ao mundo de Pandora e seus habitantes Na’vi.

Em 2010, depois de conferir a pré-estréia legendada, o filme dublado e em 3D, fui assistir pela QUINTA vez Avatar. Só que um pouco longe de casa e numa versão, digamos, gigante! Fui até São Paulo conferir a versão IMAX do longa no Espaço Unibanco de Cinemas no Shopping Bourbon no bairro da Pompéia.

O sucesso era tão estrondoso que no primeiro dia que fui, toda as sessões estavam esgotadas e me forçaram a adquirir um ingresso para um outro dia, ou seja, tive que retornar a São Paulo. O que não é difícil, pois Sampa é uma cidade magnífica.

Para não perder a viagem, no primeiro dia conferi o longa mediano Sempre ao Seu Lado, rodeado por um número considerável de japoneses.

MAIS AVATAR – Apenas três semanas em cartaz foram suficientes para Avatar alcançar a marca de 1 bilhão de dólares em bilheterias e entrar no seleto grupo de filmes de Hollywood que ultrapassaram essa barreira.

LANÇAMENTOS – Foi em janeiro que pudemos conferir, no cinema, os longas Sherlock Holmes e Onde Vivem os Monstros (e esse último exigiu uma certa paciência do espectador com o lançamento restrito a poucas cópias). Já em DVD, dia 27, chegou o documentário-show de Michael Jackson’s This is It!

SUSTO – Ao descobrir que Michael C. Hall, da série Dexter, enfrentava um câncer. Mas como Michael é forte como seu personagem, a doença não o impediu de presenciar e ganhar o seu merecido Globo de Ouro de melhor personagem de série dramática, na cerimônia realizada no dia 17 desse mês.

NASCIMENTO – Minha família ganha um novo membro com a chegada do meu sobrinho Gustavo!!!

FEVEREIRO

Fevereiro de 2010 foi um mês marcante para a televisão americana e para muitos aficionados em séries. No dia 02 desse mês teve início a saga da 6ª temporada de Lost, o último ano da produção de J. J. Abrams que arrastou uma legião de fãs pela internet afora, que compartilharam suas teorias e conspirações a respeito da ilha misteriosa. No mesmo dia 02 foram anunciados os indicados para o Oscar 2010, apresentado no dia 07 do mês seguinte.

Na televisão americana, a CBS anunciava a produção de uma série baseada em um perfil do Twitter: era o início das filmagens de S***t My Dad Says. Vencedora do Globo de Ouro de melhor série cômica/musical, Glee encantava o público com os episódios iniciais de sua primeira temporada que vinha com uma audiência ascendente.

Um dos favoritos ao Oscar desse ano, Guerra ao Terror chegava a selecionados cinemas brasileiros, mas ficava de fora da rede Cinemark. Motivo? Um mês antes, desacreditado pela distribuidora Imagem Filmes, o longa da diretora Kathryn Bigelow fora lançado diretamente em DVD no final de 2009. Uma decisão equivocada percebida apenas quando o drama foi conquistando a crítica e algumas premiações pré-Oscar. Na época, por exemplo, eu já havia comprado o DVD.

MARÇO

Preparando terreno para o lançamento de Toy Story 3, a Pixar relançava Toy Story 1 e 2 em 3D nos cinemas.

Em março foi realizado a 82ª edição da grande festa do cinema mundial. Na festa onde “Guerra ao Terror sai coroado do Oscar 2010”, a Argentina viu o Segredo dos seus Olhos vencer na categoria de filme estrangeiro; Kathryn Bigelow, foi a primeira diretora a faturar o prêmio de direção; Avatar conquistando apenas os prêmios técnicos de efeitos visuais; a supremacia da Pixar, produtora de Up – Altas Aventuras, na animação, a vitória merecida de Mo’Nique, melhor atriz coadjuvante, por Preciosa.

E não podemos deixar de destacar Sandra Bullock, que conseguiu a proeza de ser a melhor e a pior atriz num mesmo ano!

No Dia Internacional da Mulher, Hebe retornava ao seu programa de toda segunda pelo SBT, comemorando o seu aniversário de 81 anos e sua vitória após lutar contra um tumor no estômago.

No dia 16, o Parque Dom Pedro Shopping, em Campinas, presenteou os cinéfilos com a apresentação da Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto, que trouxe as clássicas trilhas sonoras do cinema.

Já o CQC dava o que falar após ser censurado. Nesse mês o programa exibido as segundas pela Band, trazia um embróglio envolvendo a Prefeitura de Barueri e o misterioso sumiço de um televisor LCD de uma escola da cidade. O aparelho doado pela atração á Secretaria de Educação de Barueri foi parar na casa de um funcionário da prefeitura. Impedidos pela Justiça de exibir a matéria na estréia da 3ª temporada, o caso foi ar pelo CQC na semana seguinte, cuja edição alcançou a vice-liderança em alguns momentos com 10 pontos no Ibope.

ABRIL

O Universo E! completou o seu primeiro ano de existência, que passou despercebido por esse que vos bloga, por ter problemas na conexão. E daí para insônia, assistir o SBT de madrugada e fazer comparações entre as séries Oz e Dexter foi um pulo.

Foi reservado também para o mês de abril um dos casos mais vergonhosos envolvendo o cinema em 2010. O lançamento de uma versão medíocre de Avatar no dia 22 e viria a ficar ultrapassada em novembro com o lançamento de edição de colecionador do MESMO filme. Uma atitude vergonhosa da FOX.

O ano de 2010 foi o ano do cinema brasileiro. E isso já desdobrava-se em abril – primeiro veio o trailer do documentário Uma Noite em 67 e depois com análise do longa As Melhores Coisas do Mundo.

MAIO

Este mês ficará marcado na história da televisão norte-americana e no coração de vários fãs: em maio de 2010 foi ar o último episódio de Lost, que comoveu e instigou muitas pessoas ao longo de seus seis anos de existência.

O fenômeno atual da televisão versus o fenômeno atual da música pop. O elenco de Glee, através de suas homenagens aos artistas da indústria musical com suas versões, não garantia e nem pretendia em fazer o mesmo com o Justin Bieber. E isso realmente até agora não ocorreu.

Mais cinema brasileiro pela frente. Foi postado no Universo E! os trailers do já comentado Antes que o Mundo Acabe e do ainda inédito Capitães de Areia. Em maio fomos conferir também o longa baseado na vida do espírita Chico Xavier.

Foi levantada a questão sobre como as produtoras e distribuidoras de cinema estavam explorando o formado 3D em seus filmes. Atrás de alguns dólares a mais nas bilheterias, muitos filmes eram convertidos ‘às pressas’ para a terceira dimensão em vez de serem produzidos de fato na nova tecnologia. O post original que originou a discussão também indicava quais títulos eram falsamente vendidos em 3D.

JUNHO

No início de junho foi realizado a maior premiação da MTV voltada para o cinema mundial: o MTV Movie Awards, que sucesso em 2009 não pode ter a cobertura in loco do Universo E! no ano passado.





Guerra ao Terror sai coroado do Oscar 2010!

8 03 2010

Toda a badalação, todas as quebras de recorde, toda a tecnologia e toda a exuberância de Avatar não foram páreos para Guerra ao Terror.

Dirigido por Kathryn Bigelow, o drama de guerra arrebatou seis Oscar’s, sendo o grande vencedor da noite: melhor filme, melhor direção, melhor roteiro original, melhor edição, melhor efeitos sonoros e melhor edição de som.

Com três Oscars, Avatar saiu como o segundo grande vencedor da noite, com os prêmios técnicos visuais: melhor fotografia, melhor efeitos visuais e melhor direção de arte.

Coração Louco (melhor ator – Jeff Bridges e melhor canção original), Up – Altas Aventuras (melhor trilha sonora e melhor animação) e Preciosa – Uma História de Esperança (melhor atriz coadjuvante – Mo’Nique e melhor roteiro adaptado) saíram com dois Oscar’s cada.

Completaram a noite de premiação:

A JOVEM VICTORIA – melhor figurino

STAR TREK – melhor maquiagem

O LADO CEGO – melhor atriz, Sandra Bullock

BASTARDOS INGLÓRIOS – melhor ator coadjuvante, Christoph Waltz

O SEGREDO DOS SEUS OLHOS – melhor filme estrangeiro, Argentina

THE COVE – melhor documentário

MUSIC BY PRUDENCE – melhor documentário em curta metragem

LOGORAMA – melhor animação em curta metragem

THE NEW TENANTS – melhor curta metragem





COBERTURA COMPLETA Oscar 2010 Ao Vivo

7 03 2010

Olá amigos! Todos preparados para esse, o maior evento do cinema mundial? Então fiquem a postos. Dentro de uma hora, iniciará a 82ª edição do Oscar.

Só aqui no Universo E! você acompanhará minuto-a-minuto, o que acontece dentro do Kodak Theatre em Los Angeles, EUA!

(OS EVENTOS MAIS RECENTES DA NARRAÇÃO SERÃO POSTADOS LOGO ABAIXO DESSA MENSAGEM)

– E para coroar a noite vencedora de Guerra ao Terror: o Oscar de melhor filme de 2009 vai para ele!

– Chegou a vez dos diretores saberem que vai levar o Oscar para o escritório: e o Oscar vai para a primeira mulher a ganhar um por melhor direção. Guerra ao Terror conquista o seu quinto Oscar na noite.

– E para apresentar a vencedora de MELHOR ATRIZ, o vencedor do Oscar de melhor atuação masculina do ano passado: Sean Penn. E o Oscar vai para… O Lado Cego, vai para… Sandra Bullock!

– E na apresentação das indicadas a MELHOR ATRIZ, Gabourey Sidibe é comparada a Meryl Streep. Oprah Winfrey: “Depois de seu trabalho inicial, Gaby está aqui na Academia, sentada no mesmo espaço que Meryl Streep!”.

– E a festa já está acabando. Só nos resta saber os vencedores de MELHOR DIREÇÃO, MELHOR ATRIZ E MELHOR FILME.

– Ao contrário de todos os vencedores, Jeff Bridges tem muito tempo disponível para fazer os seus agradecimentos. A musiquinha inoportuna dizendo “seu tempo acabou” nem sequer soou.

– Estamos chegando agora as categorias principais. Agora, MELHOR ATOR, concorrendo Jeff Bridges (Coração Louco); George Clooney (Amor sem Escalas); Colin Firth (A Single Man); Morgan Freeman (Invictus) e Jeremy Renner (Guerra ao Terror). A torcida aqui é para o último ator, Jeremy Renner e o seu desarmador de bombas. E o Oscar vai para Jeff Bridges.

– Agora é a vez do 3 dimiático Avatar ganhar a apresentação no Oscar.

– E em agradecimento, o diretor do filme lembra os nossos vizinhos chilenos.

– Uma importante premiação agora. Apresentados os indicados a melhor filme estrangeiro. Favoritos, o horrível A Fita Branca (Alemanha) e o bem falado O Segredo dos Seus olhos (Argentina). E o ganhador é o argentino O Segredo dos Seus Olhos. Meus parabéns aos nossos hermanos!

– E por falar nele, Guerra ao Terror é apresentado na cerimônia por Keanu Reeves.

– Os grandes favoritos da noite disputam o Oscar de MELHOR EDIÇÃO – que vai para Guerra ao Terror, que com este, já tem  4 Oscar na prateleira. Até aqui, Avatar vem em segundo com três estatuetas.

– The Cove ganha o Oscar destinado a MELHOR DOCUMENTÁRIO

– Recapitulando até agora todos os premiados do Oscar até a 01:00 da manhã dessa segunda, dia 08/03 no Oscar 2010:

MELHOR FOTOGRAFIA Avatar

MELHOR EDIÇÃO DE SOM Guerra ao Terror

MELHOR ATOR COADJUVANTE Christoph Waltz em Bastardos Inglórios

MELHOR FIGURINO The Young Victoria

MELHOR MAQUIAGEM Star Trek

MELHOR EDIÇÃO DE SOM Guerra ao Terror

MELHOR TRILHA SONORA Up – Altas Aventuras

MELHOR EFEITOS VISUAIS Avatar

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE Mo’Nique em Preciosa – Uma História de Esperança

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL The weary kind de Coração Louco

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO Preciosa – Uma História de Esperança

MELHOR ANIMAÇÃO – Up – Altas Aventuras

MELHOR CURTA DOCUMENTÁRIO Music of Prudence

MELHOR CURTA ANIMAÇÃO Logorama

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL Guerra ao Terror

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE Avatar

MELHOR CURTA METRAGEM The New Tenants

– Guerra ao Terror já sai na frente de Avatar, levando os dois Oscar destinada a parte sonora dos filmes: melhor som e melhor edição sonora!

– Queen Latifah no microfone. São apresentadas as indicadas a MELHOR ATRIZ COADJUVANTE.O Oscar vai para Mo’nique de Preciosa.

– MELHOR ROTEIRO ADAPTADO: as apostas são todas para Amor sem Escalas. Será que haverá alguma novidade aqui? Há também Preciosa correndo por fora, assim como Distrito 9. E o Oscar vai para Preciosa – Uma História de Esperança.

– O longa dos irmãos Cohen ganham o spot na cerimônia. Imagens de Um Homem Sério na tela do palco.

– Perdemos algumas categorias por problemas técnicos, o que nos levou a perder alguns minutos da apresentação ao vivo e a homenagem a John Hughes.

– MELHOR MAQUIAGEM apresentado por um Ben Stiller Na’Vi – só três concorrendo – Il Divo, Star Trek e The Young Victoria. Quem leva esse Oscar… Star Trek

– Os convidados do próximo bloco: Tina Fey e Robert Downey Jr.

– É a vez de Distrito 9 ganhar uma explanação na cerimônia.

– Amanda Seyfried e Miley Cirus. “Vocês nem imaginam quem elas são.”, foram as palavras de Steve Martin. A categoria apresentada pelas jovens é a de MELHOR CANÇÃO ORIGINAL: Duas canções de A Princesa e o Sapo com Paris 36, Nine e Crazy Heart completam os nomeados. A maioria das apostas vai para a canção The Weary Kind de Coração Louco… E as previsões estão CORRETAS. Outra premiação a tempos previsível.

– Cameron Diaz e Steve Carrel no palco. As animações agora discutem as suas possibilidades ao Oscar de melhor animação: personagens de A Princesa e o Sapo, Up – Altas Aventuras, Coraline, O Fantástico Senhor Raposo em uma animação feita especialmente para a cerimônia… E o vencedor da categoria é Up – Altas Aventuras. Nenhuma surpresa até agora nas duas primeiras categorias reveladas.

– PRIMEIRO COMERCIAL, PRIMEIRO TRAILER: de Ridley Scott, Robin Hood.

– O Lado Cego ganha o seu spot durante a cerimônia! Um breve texto resume a história, seguido de imagens do longa.

– Penelope Cruz é a primeira apresentadora convidada a entrar no palco. O 1º prêmio – ATOR COADJUVANTE – concorre Matt Damon, Woody Harrelson, Christopher Plummer, Stanley Tucci e Christoph Waltz. E o Oscar vai para… o favoritaço da crítica para Christoph Waltz de Bastardos Inglórios.

– E cutucando a onça com vara curta, eles partem para a ex-esposa do diretor: Kathryn Bigelow, diretora indicada por Guerra ao Terror.

– Ao se referirem ao diretor de Avatar, James Cameron, os dois apresentadores utilizam um óculos 3D para verificar se aquele na platéia é mesmo James Cameron.

– E A CERIMÔNIA COMEÇA!!! Alec Baldwin e Steve Martin começam, no palco, a fazer referências aos indicados ao Oscar e seu elenco, espalhado pela platéia do Kodak Theater





Globo de Ouro 2010

16 01 2010

Está chegando a hora. A primeira grande premiação do cinema e da TV norte-americanos de 2010 ocorre na noite desse domingo, dia 17.

E com cobertura completa do Universo E! – quem sobe no palco, quem venceu, quem chorou, quem perdeu… No palco, centenas de estrelas. E na frente de nossa telinha, você, caro leitor, acompanhando minuto-a-minuto, a grande festa da 67ª edição do Globo de Ouro.

Amanhã, a partir das 21h30min, aqui no Universo E!

E para esquentar os holofotes, aqui vai a lista completa dos indicados ao Globo de Ouro 2010:

MELHOR FILME DE DRAMA

  • Avatar
  • Guerra ao Terror
  • Bastardos Inglórios
  • Precious
  • Amor sem Escalas

MELHOR FILME DE COMÉDIA OU MUSICAL

  • (500) Dias com Ela
  • Se Beber não Case
  • Simplesmente Complicado
  • Julie e Julia
  • Nine – O Musical

MELHOR DIRETOR

  • Jason Rietman (Amor sem Escalas)
  • James Cameron (Avatar)
  • Quentin Tarantino (Bastardos Inglórios)
  • Kathryn Bigelow (Guerra ao Terror)
  • Clint Eastwood (Invictus)

MELHOR ATRIZ DRAMÁTICA

  • Sandra Bullock (The Blind Side)
  • Gabire Sadibe (Precious)
  • Carey Mulligan (Educação)
  • Hellen Mirren (The Last Station)
  • Emily Blunt (The Young Victoria)

MELHOR ATOR DRAMÁTICO

  • Tobey Maguire (Entre Irmãos)
  • Colin Firth (A Single Man)
  • Jeff Bridges (Crazy Hearth)
  • George Clooney (Amor sem Escalas)
  • Morgan Freeman (Invictus)

MELHOR ATRIZ EM COMÉDIA OU MUSICAL

  • Marion Cotillard (Nine – O Musical)
  • Sandra Bullock (A Proposta)
  • Meryl Streep (Julie e Julia)
  • Julia Roberts (Duplicidade)
  • Meryl Streep (Simplesmente Complicado)

MELHOR ATOR EM COMÉDIA OU MUSICAL

  • Joseph Gordon Levitt ( (500) Dias com Ela)
  • Michael Stuhlbarg (A Serious Man)
  • Daniel Day Lewis (Nine – O Musical)
  • Robert Downey Jr (Sherlock Holmes)
  • Matt Damon (O Desinformante)

MELHOR ATOR COADJUVANTE

  • Christopher Waltz (Bastardos Inglórios)
  • Matt damon (Invictus)
  • Woody Harrelson (The Messenger)
  • Stanley Tucci (Um Olhar do Paraíso)
  • Christopher Plummer (The Last Station)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

  • Penelope Cruz (Nine – O Musical)
  • Julianne Moore (A Single Man)
  • Anna Kendrick (Amor sem Escalas)
  • Mo-Nique (Precious)
  • Vera Farmiga (Amor sem Escalas)

MELHOR ROTEIRO

  • Simplesmente Complicado, por Nancy Meyers
  • Distrito 9, por Neil Blomkamp e Terri Tatchell
  • Guerra ao Terror, por Mark Boal
  • Bastardos Inglórios, por Quentin Tarantino
  • Amor sem Escalas, por Jason Reitman e Sheldon Turner

MELHOR FILME ESTRANGEIRO

  • Baaria, Giuseppe Tomatore ( )
  • A Fita Branca, Michael Haneke ( )
  • The Maid, Sebastián Silva ( )
  • Abraços Partidos, Pedro Almodóvar ( )
  • A Prophet, Jacques Audiard ( )

MELHOR ANIMAÇÃO

  • Up – Altas Aventuras
  • Coraline
  • O Fantástico Sr Raposo
  • A Princesa e o Sapo
  • Está Chovendo Hambúrguer

MELHOR CANÇÃO

  • I See You (Avatar)
  • The Weary Kind (The Crazy Heart)
  • Winter (Brothers)
  • I Want to Come Home (Everybody’s Fine)
  • Cinema Italiano (Nine – O Musical)

MELHOR TRILHA SONORA

  • Onde Vivem os Monstros, por Karen O. e Carter Burnwell
  • Up – Altas Aventuras, por Michael Giacchino
  • Avatar, por James Horner
  • A Single Man, por Abel Krozeniowski
  • O Dseinformante, por Marvin Hamlisch

MELHOR SÉRIE DE TV (DRAMA):

  • Big Love – Amor Imenso
  • Dexter
  • House
  • Mad Men
  • True Blood

MELHOR SÉRIE DE TV (COMÉDIA OU MUSICAL):

  • Entourage
  • Glee
  • The Office
  • Modern Family
  • 30 Rock

MELHOR PRODUÇÃO (MINISSÉRIE OU FILME) PARA TV:

  • Georgia O’Keeffe
  • Grey Gardens
  • Little Dorrit
  • Taking Chance
  • Into the Storm

MELHOR ATOR EM PRODUÇÃO PARA TV:

  • Kevin Bacon, por Taking Chance
  • Kenneth Branagh, por Wallander
  • Brendan Gleeson, por Into the Storm
  • Jeremy Irons, por Georgia O’Keeffe
  • Chiwetel Ejiofor, por Endgame

MELHOR ATRIZ EM PRODUÇÃO PARA TV:

  • Joan Allen, por Georgia O’Keeffe
  • Drew Barrymore, por Grey Gardens
  • Jessica Lange, por Grey Gardens
  • Anna Paquin, por The Courageous Heart of Irena Sendler
  • Sigourney Weaver, por Prayers for Bobby

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE TV (COMÉDIA OU MUSICAL):

  • Alec Baldwin, 30 Rock
  • Steve Carell, The Office
  • David Duchovny, Californication
  • Thomas Jane, Hung
  • Matthew Morrinson, Glee

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE TV (DRAMA):

  • Simon Baker, The Mentalist
  • Michael C. Hall, Dexter
  • Jon Hamm, Mad Men
  • Hugh Laurie, House
  • Bill Paxton, Big Love

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE TV (COMÉDIA OU MUSICAL):

  • Toni Collete, United States of Tara
  • Courteney Cox, Cougar Town
  • Edie Falco, Nurse Jackie
  • Tina Fey, 30 Rock
  • Lea Michele, Glee

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE TV (DRAMA):

  • Gleen Close, Damages
  • January Jones, Mad Men
  • Julianna Margulies, The Good Wife
  • Anna Paquin, True Blood
  • Kyra Sedgwick, The Closer

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE OU PRODUÇÃO PARA TV:

  • Michael Emerson, Lost
  • Neil Patrick Harris, How I Met Your Mother
  • William Hurt, Damages
  • John Lithgow, Dexter
  • Jeremy Piven, Entourage

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE PARA SÉRIE OU PRODUÇÃO PARA TV:

  • Rose Byrne, Damages
  • Jane Adams, Hung
  • Jane Lynch, Glee
  • Janet McTeer, Into the Storm
  • Chlöe Sevigny, Big Love




2012 e Lua Nova dominam exibições

21 11 2009

Com a estreia do mega sucesso Lua Nova, a segunda parte da saga Crepúsculo, nos cinemas nesta sexta, dia 20, os multiplex’s por todo o Brasil estão dominados por dois blockbusters: além do longa de Robert e Bella, o apocalipse de 2012.

Juntos representam, em alguns complexos, 80% das salas de cinema. Além do forte apelo comercial, os dois filmes contam ainda com cópias dubladas e legendadas, o que exige no mínimo, duas salas para exibição.

Exemplos: pela cadeia dos cinemas Severiano Ribeiro temos as 15 salas do Kinoplex Dom Pedro em Campinas – 2012 está em exibição em 5 salas; Lua Nova ocupa outras 5. (500) Dias com Ela, Besouro, Código de Conduta, Jogos Mortais 6, as animações Tá Chovendo Hamburguer e Up – Altas Aventuras (excluindo as diversas pré-estreias) dividem as outras cinco salas restantes.

Em São Paulo, a rede Cinemark no shopping Interlar Aricanduva divide suas 14 salas com 2012 em quatro e Lua Nova em outras cinco salas, restando cinco salas para a exibição de outros seis filmes.

Cinemas pequenos também sofrem com esse duelo de gigantes: o Cinemark presente na cidade de Jacareí conta com cinco salas. 2012 e Lua Nova estão, juntos, presentes em todas elas – o primeiro em duas e o último nas outras três. A versão dublada de Lua Nova (com dois horários) divide a sala com a exibição do documentário Hebert de Perto (duas sessões) e os curtas O Balão Vermelho / O Cavalo Branco com exibição única.

Situação semelhante ocorreu durante o mês de maio de 2007, quando Homem-Aranha 3, já em cartaz, passou a dividir, literalmente, os cinemas com a estreia da terceira parte de Piratas do Caribe – num cinema de 15 salas, por exemplo, havia na época a exibição de apenas cinco filmes. Treze salas eram ocupadas pelos blockbusters e outras duas se revezavam com a exibição de três longas.

O próximo filme a dominar as salas de nossos cinemas será Avatar de James Cameron. Quando estrear em 18 de dezembro, 2012 e Lua Nova já terão perdido bastante do fôlego de agora!





ANÁLISE: Up – Altas Aventuras

2 10 2009

Antes de mais nada, desde de Ratatouille que não ia ao cinema para ver uma animação da Disney, ou seja, desde 2007. E sim, cometi o pecado de não assistir Wall.E na telona.

Mas continua-se impossível não se maravilhar com mais uma produção Dinsey/Pixar, embora Up – Altas Aventuras esteja muito aquém da complexidade, da beleza e dos mínimos detalhes que caracterizaram as produções da dupla D/P que o antecederam.

Up se baseia num velhinho muito rabugento, porém simpático chamado Carl Fredricksen (dublado aqui muito bem por Chico Anysio) que passou grande parte da sua vida sonhando em participar de grandes aventuras, de grandes explorações. Admirando o maior ícone do gênero na sua época de menino, Carl conhece a sua futura esposa, Ellie, que partilha do mesmo espírito aventureiro e uma vez juntos almejam um sonho: conhecer o grande Paraíso das Cachoeiras. Mas por inúmeros contratempos, esse sonho jamais pode ser realizado e com a morte de sua esposa, essa ‘expedição’ fora definitivamente cancelada.

O início da animação cumbe de explicar ao espectador todos esses momentos da vida matrimonial de Fredricksen, de uma forma rápida porém bastante compreensível.

Aposentado e viúvo, Carl passa a prezar por uma vida tranqüila e sossegada. Até mesmo quando a sua velha e colorida casa esteja rodeada por grandes empreendimentos de edifícios e o barulho ao seu redor seja infernal.

E é todo esse movimento na vizinhança que muda drasticamente o cotidiano pacato de Carl. Acidentalmente, um trator acaba danificando a caixa de correio do velhinho, que tem um enorme zelo em tudo em sua casa que o faça lembrar de Ellie. Enfurecido, ele acerta o responsável pelo incidente com sua bengala e passar a ser considerado uma ameaça pública sendo convidado a se internar num asilo.

Sem escapatória, Fredricksen decide então partir para Amércia do Sul, onde fica o encantado ‘Paraíso das Cachoeiras’ de um modo inusitado: indo até lá levando a sua casa presa a inúmeros balões.

Uma vez alçado vôo, ele acaba sendo surpreendido por uma visita inusitada: o inquieto Russel, um garoto de 8 anos, que vinha o perturbando há algum tempo para ajudá-lo em algo e ganhar a insígnia de auxílio aos idosos para completar a sua coleção. Por mais tagarela que Russel fosse, Carl sabia ver um pouco de si naquela criança, embora os tempos fossem outros e a disposição para falar intermitentemente do garoto contrastasse com o modo sempre mudo de Fredricksen.

Assim, essa improvável dupla parte em direção ao ‘Paraíso das Cachoeiras’ encontrando lá aquele aventureiro que Carl tanto cultuava em sua infância e que está disposto a aprisionar uma exótica ave da região, mostrá-la ao mundo e livrar-se da humilhação pública que sofrera no auge da sua carreira ao ser acusado de mostrar um falso esqueleto do tal pássaro.

E começa aqui a grande confusão da animação: Russel, como grande explorador da natureza se nega a entregar a ave que encontrara logo após a sua ‘aterrisagem’ no lugar. E Carl, de admirador, passa a ser um inimigo para o grande aventureiro, tendo que enfrentá-lo para salvar a ave e Russel e encontrar o caminho de volta para casa.

Disney/Pixar novamente nos brinda com uma linda história, que, como sempre digo, está cada vez mais voltada para os adultos do que para as crianças, com as mensagens que permeiam as histórias de suas animações. Porém, Up – Altas Aventuras não conseguiu atingir o excelente patamar que Os Incríveis, Carros, Ratatouille ou Wall.E conquistaram. Up sem dúvida é um excelente passatempo, mas faltou aquele ‘algo a mais’, para que ocupasse um lugar em nossa memória e que trouxesse as ‘boas recordações’ que as outras animações, mesmo vistas há muito tempo, ainda possuem.

COTAÇÃO: 4/5.








PALPITEIRO BRASILEIRO

Campeonato dos Palpiteiros - Temporada 2018

Blog do Renato Nalini

Ex-Secretário de Estado da Educação e Ex-Presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo. Ex-Presidente e Imortal da Academia Paulista de Letras. Membro da Academia Brasileira de Educação. Atual Reitor da UniRegistral. Palestrante e conferencista. Professor Universitário. Autor de dezenas de Livros: “Ética da Magistratura”, “A Rebelião da Toga”, “Ética Ambiental”, entre outros títulos.

Abraccine - Associação Brasileira de Críticos de Cinema

Site com atividades e informações sobre a associação que reúne profissionais da crítica cinematográfica de todo o Brasil

Sinfonia Paulistana

um novo olhar

%d blogueiros gostam disto: